Hoje é 23 de maio de 2024 22:27
Hoje é 23 de maio de 2024 22:27

Brasileiros continuam presos na Faixa de Gaza 

Presidente Lula e o chanceler Mauro Vieira estão em tratativas com representantes do governo do Egito, de Israel e da Autoridade Palestina na tentativa de garantir um cessar-fogo para que um ônibus com brasileiros deixe o território palestino
Conflito entre Israel e o grupo Hamas acontece há quase 11 dias | Fotos: Reprodução

O governo brasileiro tenta retirar em segurança aproximadamente 30 brasileiros e parentes palestinos que estão na Faixa de Gaza. O conflito entre Israel e o grupo Hamas acontece há quase 11 dias.

As negociações são feitas para tentar resgatar 22 brasileiros, sete palestinos portadores de Registro Nacional de Imigração (estrangeiros com visto temporário ou com visto de autorização de residência) e mais três parentes próximos de origem palestina, que permanecem alojados em residências na região de Khan Yunis, ao sul de Gaza.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o chanceler Mauro Vieira estão em tratativas com representantes do governo do Egito, de Israel e da Autoridade Palestina na tentativa de garantir um cessar-fogo para que um ônibus com brasileiros deixe o território palestino rumo a solo egípcio, onde o grupo seguirá em um avião presidencial.

Nesta segunda-feira (16/10), Vieira e o ex-chanceler e assessor especial da Presidência da República, Celso Amorim, foram recebidos pelo presidente Lula no Palácio da Alvorada. 

Entre as dificuldades encontradas para resgatar os brasileiros, estão possíveis bombardeios a Rafah, em meio ao bloqueio israelense até que o Hamas libere os reféns. Há ainda o risco de extremistas infiltrados adentrarem o território vizinho; e a falta de estrutura migratória adequada no Egito.

Autoridades locais também temem um êxodo em massa dos palestinos e o estabelecimento de um assentamento de refugiados fora de Gaza. Sem água, alimentos ou energia desde o estabelecimento do bloqueio total pelo governo de Benjamin Netanyahu, a situação tende a se agravar cada vez mais no lado palestino da fronteira.

Das 32 pessoas que aguardam resgate, 16 (quatro homens, quatro mulheres e oito crianças) foram deslocadas para Rafah, onde permanecem alojadas em um imóvel alugado pelo Itamaraty. Elas estavam na Cidade de Gaza e se abrigavam em uma escola, a Rosary Sisters School, que fica na periferia da capital, ao sul, durante os primeiros dias da guerra.

As outras 16 pessoas (dois homens, cinco mulheres e nove crianças) são moradoras de Khan Yunis e aguardam a liberação nas próprias casas. A cidade fica a poucos quilômetros de Rafah.

No total, 17 crianças, nove mulheres e seis homens esperam ajuda do governo para conseguir deixar a área mais crítica do conflito.

Para garantir a segurança de todos, o governo federal trabalha para reunir toda a documentação necessária à operação, bem como informar a autoridades egípcias, palestinas e israelenses o dia e o horário exatos em que um ônibus faria o trajeto entre a Faixa de Gaza e a cidade de Rafah, no Egito.

Até a noite desta segunda-feira (16/10), 916 brasileiros e 24 animais domésticos haviam sido trazidos para o Brasil. Com a realização de um novo voo, que partirá de Tel Aviv na quarta-feira (18/10), o governo terá concluído a repatriação de mais de 1.100 brasileiros que pediram para sair da zona de conflito.

Compartilhar em:

Notícias em alta