Hoje é 23 de maio de 2024 22:51
Hoje é 23 de maio de 2024 22:51

Caiado diz que estado ‘não pode se acovardar diante do narcotráfico’

Ao participar do programa Diálogos, da GloboNews, governador goiano defendeu autonomia das forças de segurança e se posicionou contra uso de câmeras corporais
Em entrevista à Globo News, Caiado diz que segurança pública deve ser prioridade: “É preciso coragem para enfrentar o crime” // Fotos: Divulgação

O governador Ronaldo Caiado (União) voltou a defender a segurança pública como área estratégica em Goiás e no Brasil. Convidado de sexta-feira (16/02) do programa Diálogos, da GloboNews, o político avaliou o impacto de medidas como o controle de penitenciárias e autonomia das polícias na redução da criminalidade no estado, que tem registrado queda expressiva nas estatísticas criminais desde 2019.

“Se não tivermos o controle das penitenciárias, não controlamos o crime”, afirmou, ao citar investimento de R$ 111 milhões no sistema.

Caiado disse que enxerga o uso de câmeras por policiais como uma desvantagem: “Quero botar câmera é no cidadão que está com tornozeleira, que, muitas vezes, coloca um papel de alumínio nela, sai fora dos limites e vai matar uma pessoa. Câmera na farda, por exemplo, não traz resultado nenhum, só faz inibir o policial”, frisou Caiado.

Nesse sentido, o governador goiano destacou que a liberdade para atuação dos profissionais de segurança pública é fundamental, assim como “treinamento, armamento e equipamentos de qualidade”. O controle do narcotráfico, segundo o político, é outra forma de garantir autoridade ao Estado, a democracia e o exercício pleno de direitos pelo cidadão.

“O Estado não pode se acovardar. É preciso coragem para enfrentar o crime”, frisou.

Caiado aproveitou para tratar de política e destacou avanços promovidos em Goiás nos últimos anos.

“Goiás foi o estado que mais tirou pessoas do nível da miséria, da pobreza e da extrema pobreza. Fomos ainda o primeiro lugar em diminuição da evasão escolar, com um programa copiado agora pelo governo federal: o Bolsa Estudo”, lembrou.

Compartilhar em:

Notícias em alta