Hoje é 15 de abril de 2024 03:30
Hoje é 15 de abril de 2024 03:30

Cais Vila Nova é interditado por falta de estrutura para médicos

De acordo com Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás, na unidade de saúde faltam equipamentos indispensáveis para a prestação de serviços, como cadeira

O Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás (Cremego) determinou, nesta quinta-feira (5/1), a interdição ética do Centro de Atenção Integral em Saúde Deputado João Natal, conhecido como o Cais Vila Nova, em Goiânia. A interdição vale por 60 dias.

O Cremego determinou ainda a proibição dos médicos de trabalhar na unidade até que os problemas na estrutura, informados à Prefeitura de Goiânia, sejam resolvidos. Entre eles: falta de pia e sanitário para os profissionais da saúde. 

Além disso, o Cremego informou que falta ainda “diversos equipamentos indispensáveis para a prestação de serviços”.

De acordo com o conselho, a liberação do trabalho médico no Cais Vila Nova depende, agora, da correção das deficiências encontradas pelo órgão durante uma fiscalização. 

No entanto, o órgão ressalta que o prazo de 60 dias pode ser prorrogado “caso as deficiências encontradas pelo Conselho não sejam sanadas neste prazo.”

Ainda segundo o Conselho, “há tempos vinha alertando” a Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia (SMS) sobre os problemas. 

“O Ministério Público Estadual e a Vigilância Sanitária também já tinham sido alertados sobre as falhas que comprometem a segurança e a qualidade do exercício da medicina na unidade” disse.

Por meio de nota, o Ministério Público de Goiás informou que declarou que “recebeu ofício do Cremego (via e-mail), na manhã desta quinta-feira (5/1), relatando os fatos citados. O documento foi encaminhado à Área de Saúde, que providenciará a distribuição do procedimento a uma das Promotorias de Justiça da capital com atribuição na área.”

Até o fechamento desta matéria, a Prefeitura de Goiânia não havia se manifestado sobre o fato.

Confira abaixo a lista de problemas detectamos: 

  • Falta de cadastro da unidade no

Cremego;

  •   Falta de diretor-técnico;
  •   Escala de médicos incompleta;
  •   Inadequação da estrutura física;
  •   Falta de medicamentos e materiais básicos;
  •   Ausência de diversos equipamentos indispensáveis à prestação de serviços médicos;
  •   Falta de Comissão de Controle de
  • Infecção em Serviços de Saúde;
  •   Não possui Núcleo de Segurança do
  • Paciente;
  •   Na área de repouso médico, faltam roupas de cama, chuveiro, pia e sanitário;
  • Faltam cadeiras para médicos e pacientes nos consultórios;
  • Faltam lençóis nas macas.Z

Compartilhar em:

Notícias em alta