Hoje é 21 de fevereiro de 2024 05:02
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 05:02

Comparativo da segurança pública indica redução de índices de criminalidade em Goiás

Números divulgados nesta quarta-feira, comparando dados de 2018 com números do ano passado, segundo o Governo estadual consolidam queda histórica de crimes violentos e não violentos
Governador Ronaldo Caiado comemora redução nos índices de criminalidade: quando se compara 2018 com 2023, uma das reduções mais expressivas diz respeito ao roubo de veículos, que caiu 10.103 casos em 2018 para 1.029 no ano passado // Foto: Romullo Carvalho

Goiás registrou queda de 50,8% no número de homicídios dolosos em 2023, na comparação com 2018 – último ano antes de Caiado assumir o Governo estadual. Enquanto em 2018 ocorreram 2117 mortes violentas intencionais (homicídios dolosos), em 2023 esse número caiu para 1042.

Esse é um dos vários indicadores criminais apresentados pelo governador Ronaldo Caiado nesta quarta-feira (10/1). Apesar de não ter divulgado uma tabela completa de comparativos ano a ano, a avaliação feita pelo Governo estadual é de que os números “seguem uma série histórica de redução consecutiva, desde 2019”.

“Aqui não tem só teoria. É teórico com prática. É competência com operacionalidade”, disse o governador sobre a dinâmica de trabalho que resultou nos índices positivos.

Uma das reduções mais expressivas, na comparação entre 2018 e 2023, diz respeito ao roubo de veículos (-89,8%): foram 1.029 no ano passado, ante 10.103 casos em 2018.

Já crimes como furto e roubo a transeunte tiveram queda de 85,8% e 83%, respectivamente. Latrocínio, que é o roubo seguido de morte, caiu 86,7% – foram 14 casos em 2023 e 105 no ano de 2018.

“Sou extremamente orgulhoso de liderar um Estado com esta equipe de segurança. E nosso trabalho seguirá visando sempre o avanço, a proteção total dos goianos”, afirmou o governador, que estava acompanhado da cúpula da segurança pública.

Caiado demonstrou preocupação com a forma como a criminalidade tem se “apoderado” de alguns estados brasileiros e países vizinhos.

“O Equador está em estado de guerra”, mencionou sobre o conflito interno que envolve facções.

“O prefeito do Rio de Janeiro [Eduardo Paes] disse que não pode iniciar as obras em um parque porque facções exigem um pagamento de R$ 500 mil”, continuou ao citar, ainda, o avanço de narcotraficantes na Amazônia.

“Outros governadores não governam seu território, só parte. Em Goiás, o governador governa os 350 mil quilômetros quadrados e os 246 municípios. Governamos o estado na totalidade”, frisou.

O balanço apresentado utiliza dados do Observatório de Segurança Pública do Estado de Goiás, gerenciado e tratado pela própria Secretaria de Segurança Pública, e tem como base as ocorrências registrados em todo o estado.

Feminicídio: 110 mulheres foram mortas em dois anos

Durante o evento, foram apresentados alguns números dos principais indicadores criminais de 2023, na comparação com 2022, com queda na grande maioria dos tipos de crimes divulgados. Uma exceção é o feminicídio, que não apresentou nenhuma queda de 2022 para 2023, isto é, foram registrados 110 casos nos últimos dois anos, sendo 55 em 2022 e 55 em 2023.

Confira indicadores criminais de áreas prioritárias

(Comparativo entre 2022 e 2023)

* Homicídios dolosos: -12,1% (caiu de 1.185 para 1.042)

* Homicídio tentado: – 7,3%% (caiu de 1.829 para 1.696)

* Estupro: -12% (caiu de 800 para 704)

* Latrocínio: -57,6% (caiu de 33 para 14)

* Feminicídio: 0% (permaneceu estável em 55 casos cada ano)

* Roubo a transeunte: -32,7% (caiu de 11.682 para 7.861)

* Roubo de veículos: -30,1% (caiu de 1.473 para 1.029)

* Roubo em comércio: -27% (caiu de 880 para 642)

* Roubo a residências: -34,9% (caiu de 869 para 566)

* Roubo de cargas: -52,3% (caiu de 86 para 41)

* Roubo a instituição financeira: nenhum caso desde 2019

* Furto a transeunte: -33% (caiu de 10.930 para 7.328)

* Furto a veículo: -19,1% (caiu de 5.559 para 4.498)

* Furto em comércio: -15,3% (caiu de 12.646 para 10.707)

* Furto em residência: -20,5% (caiu de 21.193 para 16.849)

* Roubo em propriedade rural: -28% (caiu de 110 para 79)

* Furto em propriedade rural: -14% (caiu de 3.706 para 3.202)

Compartilhar em:

Notícias em alta