Hoje é 29 de fevereiro de 2024 02:43
Hoje é 29 de fevereiro de 2024 02:43

Corpo de adolescente é encontrado em local indicado por auxiliar de pedreiro

Reidimar Silva confessou que queimou e jogou corpo de Thaís Lara, que desapareceu em 2019 aos 13 anos, em cisterna localizada na casa onde ele morava

A Polícia Civil, juntamente com a Polícia Científica, localizou os restos mortais de um corpo encontrado na casa onde morou o auxiliar de pedreiro Reidimar Silva, de 31 anos, acusado de ter matado Luana Marcelo no ano passado. Ele também confessou ter matado a adolescente Thaís Lara, que desapareceu em 2019 aos 13 anos, em Goiânia.

Segundo a PC, uma perícia será feita para confirmar se o corpo é de Thaís Lara. O corpo foi encontrado após Reidimar pedir uma Bíblia a um agente da Polícia Penal de Goiás e confessar o crime. Ele disse, durante a confissão, que não estuprou Thaís Lara e que a matou por enforcamento.

A adolescente Thaís Lara desapareceu em agosto de 2019, após sair para ir a uma feira. Ela também morava no Madre Germana II, mesmo bairro que Luana Marcelo, foi encontrada morta em novembro do ano passado.

A investigação do desaparecimento de Thaís foi reaberta após o corpo de Luana ser encontrado enterrado na casa dele. 

À época, a Polícia Civil informou que via situações similares no desaparecimento das duas adolescentes, como, por exemplo, a idade entre elas. Ao ser questionado, Reidimar chegou a negar que tinha cometido o crime.

“Ele confirmou que realmente conhecia a vítima Thaís Lara ali do setor onde eles moravam, no Madre Germana II, que eles tinham um relacionamento de rua, de vizinhos, mas não tinham uma relação mais profunda”, afirma a delegada Ana Paula Machado.

Até o fechamento desta matéria, a defesa de Reidimar não havia se pronunciado sobre os crimes. O processo contra ele está em segredo de Justiça.

Compartilhar em:

Notícias em alta