Hoje é 21 de julho de 2024 17:32
Hoje é 21 de julho de 2024 17:32

Denúncias de pais revelam crianças dormindo no chão e em cadeiras em Cmeis de Goiânia

Vereadora presidente da Comissão de Educação, Aava Santiago, denunciou o caso na Polícia Civil e ao Tribunal de Contas dos Municípios
Prefeitura de Goiânia respondeu em nota que todas as unidades escolares do município possuem recursos para organizar suas atividades em 2024

Crianças da Rede Municipal de Educação de Goiânia estão enfrentando condições precárias de acomodação nos Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) da capital, conforme denúncias feitas por pais e servidores. 

Imagens revelam que algumas crianças estão dormindo diretamente no chão, sem colchonetes disponíveis, ou se deitando sobre as carteiras devido à falta desse material nas instituições. Tais relatos surgiram logo no início do ano letivo, que teve início na última segunda-feira (22).

As denúncias foram formalmente encaminhadas à Comissão de Educação da Câmara de Goiânia, que tomou a iniciativa de levar o caso ao Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) e à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente.

Em nota à imprensa, a Secretaria Municipal de Educação (SME) disse que irá investigar os fatos. “A SME informa que irá apurar com rigor as denúncias em questão. O município ressalta que envia recursos de forma sistemática para a alimentação e para a aquisição de materiais utilizados pelas crianças durante o período em que permanecem nas unidades educacionais”, destaca. 

A nota ainda destaca que as unidades de educação têm capital em caixa para comprar os insumos necessários para os cuidados com as crianças. “Os recursos para o início deste ano letivo foram repassados no fim do ano passado. Como adiantamento, a Prefeitura de Goiânia repassa, de forma descentralizada, mais de R$ 9 milhões para as unidades de ensino. Com essa medida, todas as instituições iniciaram 2024 com recursos em caixa”, explica.

À imprensa, o Tribunal de Contas dos Municípios (TCM) informou que avalia a denúncia para, então, decidir sobre o andamento do processo. Vereadora de Goiânia e presidente da Comissão de Educação da Câmara, Aava Santiago (PSDB) manifestou repúdio às denúncias do descaso feitas pelos pais e relatou pelas redes sociais as medidas cabíveis para resolver o caso.

“De segunda-feira para cá estamos apurando a denúncia mais revoltante e dolorosa que recebemos neste mandato. Denunciei o prefeito Rogério Cruz e o secretário de Educação na Delegacia da Criança e do Adolescente para apuração de possíveis crimes cometidos contra as crianças da rede no retorno às aulas. A ausência de planejamento, comprometimento e de humanidade recebemos dezenas de fotos de pais que mostram que na hora do descanso e da soneca estão sentadas em cadeiras ou dormindo no chão, por que não tem colchonetes e nem kits escolares”, desabafou.

Compartilhar em:

Notícias em alta