Hoje é 29 de fevereiro de 2024 01:28
Hoje é 29 de fevereiro de 2024 01:28

Detran de Goiás fecha Ciretran de Aparecida por fraudes em transferências de veículos

Presidente do Detran, delegado Waldir, informou que mais de 500 pessoas podem ter sido prejudicadas pelas irregularidades cometidas por funcionários
Todos os computadores e arquivos foram apreendidos, e uma auditoria irá analisar os mais de 30 mil processos, um a um, a fim de detectar novas fraudes | Fotos: Marcela Passos/Detran-GO

O Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO) fechou, nesta sexta-feira (2/6), a Circunscrição Regional de Trânsito (Ciretran) de Aparecida de Goiânia. O órgão, localizado no Centro Empresarial, na Avenida Rio Verde, estará fechado por tempo indeterminado.

Segundo o Detran, todos os atendimentos no local estão suspensos. A Ciretran foi fechada após um trabalho de inteligência do órgão identificar provas do envolvimento de 10 servidores suspeitos de formação de quadrilha, inserção de dados falsos no sistema de informação e falsidade ideológica. Eles foram afastados dos cargos e tiveram suas senhas suspensas.

De acordo com as investigações, as fraudes no sistema já estavam acontecendo há mais de 10 anos. O departamento informou que os funcionários envolvidos são comissionados e ex-servidores da Caixego.

O presidente do Detran, delegado Waldir, informou que mais de 500 pessoas podem ter sido prejudicadas pelas irregularidades cometidas por funcionários durante a transferência de veículos.

Ele ainda explicou que os envolvidos tinham fácil acesso aos processos por meio de suas senhas. 

“Eles faziam a alteração de propriedade do veículo da forma como eles bem entendiam, a hora que eles queriam”. 

O delegado também ressaltou que essa prática pode ser facilmente rastreada, mas os funcionários pareciam não ligar, já que, nas palavras de Waldir, estavam “debochando do Detran e do cidadão goiano que paga o serviço”.

“Quando um funcionário do serviço de inteligência saiu do local [Ciretran], o pessoal [servidores] saiu dançando. Estavam tão mansos na prática de condutas criminosas, que diziam: ‘não vai dar em nada não’”, pontuou o delegado.

Em entrevista ao Portal NOTÍCIAS GOIÁS, o governador de Goiás, Ronaldo Caiado, afirmou que não admite irregularidades nos órgãos do estado.

“Pedi ao delegado Waldir que nós não admitíssemos de maneira nenhuma a utilização indevida do Ciretran. É inaceitável e as pessoas sabem muito bem”, disse Caiado.

“Onde o governo detectar qualquer utilização que não seja com a finalidade de atender à população e que haja um desvio de função ali dentro, as pessoas sabem que as punições serão duras. Não é só no Dentran, é em qualquer órgão do estado. A minha determinação é essa”, concluiu o governador.

Prejuízo ao Detran é de aproximadamente R$ 300 mil

O presidente do Detran também disse que já foram identificadas aproximadamente 180 tipos de condutas fraudulentas, gerando um prejuízo de aproximadamente R$ 300 mil ao Detran, pela falta de recolhimento dos tributos. Além disso, foi apurado que os servidores recebiam uma quantia média de R$ 3 mil por fraude.

Todos os computadores e arquivos foram apreendidos, e uma auditoria irá analisar os mais de 30 mil processos, um a um, a fim de detectar novas fraudes.

O caso será encaminhado para a Polícia Civil, que deverá investigar supostos crimes de formação de quadrilha, inserção de dados falsos no sistema de informação e falsidade ideológica.

Os funcionários cujo envolvimento nos esquemas fraudulentos não foi provado serão remanejados para unidades do Vapt Vupt. Além disso, segundo o delegado Waldir, o serviço deverá ser ampliado e oferecido em sete Serviços de Atendimento ao Consumidor (SACs) de Aparecida de Goiânia.

Compartilhar em:

Notícias em alta