Hoje é 29 de fevereiro de 2024 02:02
Hoje é 29 de fevereiro de 2024 02:02

Detran Goiás denuncia irregularidades no registro de ponto de servidores do órgão

Em 2023 cerca de 16 colaboradores de diferentes departamentos foram investigados por bater o ponto e se ausentar do posto, faltar por um ou mais dias ou por marcar presença para um colega que estava fora do ambiente de trabalho
A Polícia Civil irá investigar os denunciados e se confirmado os ilícitos, os responsáveis podem ser demitidos, exonerados e responder a processo judicial // Foto: Portal Notícias Goiás

O presidente do Departamento Estadual de Trânsito de Goiás (Detran-GO), Delegado Waldir, realizou coletiva de imprensa na manhã desta segunda-feira (05/02), para revelar um esquema envolvendo servidores que não batiam ponto regularmente no órgão. Apurações do Serviço de Inteligência da autarquia identificaram efetivos e comissionados que estavam marcando ponto para colegas que não estavam trabalhando.

“Desde que assumi em março do ano passado, encontrei inúmeras denúncias de irregularidades envolvendo o registro de ponto de vários dos nossos servidores. A partir disso iniciamos uma investigação interna para identificar e cobrar os responsáveis e chegamos a cortar o ponto de alguns”, revelou o Delegado Waldir.

Foram identificados nove casos em 2023, abrangendo a Diretoria de Atendimento, a Gerência de Habilitação e Ciretrans. Este ano, já foram flagrados sete funcionários no mesmo esquema. Os casos serão comunicados à Polícia Civil. Desde o ano passado, cerca de 100 servidores foram afastados dos cargos por suspeita de corrupção.

“Afastamos sete servidores por essa conduta inadequada. Havia situações em que servidores vinham aqui, batiam o ponto e iam embora e outros que batiam o ponto para outros colegas que não vinham ao trabalho. Tínhamos casos de ponto batido por uma mulher, mas que o servidor era um homem. Não aceitamos prejuízos para população por pessoas que querem receber sem trabalhar, isso é um crime de falsidade ideológica e estelionato”, destacou o presidente do órgão.

Delegado Waldir revelou detalhes do esquema e anunciou medidas para coibir novas irregularidades

Os servidores comissionados podem ser demitidos se as irregularidades forem confirmadas, enquanto os efetivos poderão passar por sindicância e responder a processos administrativos. Entre os crimes atribuídos a esses funcionários estão falsidade ideológica e formação de quadrilha. Entre os identificados na fraude estão servidores que recebem mensalmente remuneração média entre R$ 3.360,00 e R$ 4.705,55. Dos casos apresentados hoje (5), sete foram registrados em 2023 envolvendo a Diretoria de Atendimento, a Gerência de Habilitação e Ciretrans.

“Isso evidencia nossa total intolerância a servidores que não trabalham e buscam remuneração. Solicitamos à Secretaria de Administração e ao serviço de Tecnologia de Informação do órgão uma reformulação no sistema de ponto, incluindo registros digital e facial, e a suspensão do ponto pela web. E vamos reforçar a fiscalização do registro correto de ponto dos nossos servidores aqui do Detran Goiás”, explicou o Delegado Waldir.

Compartilhar em:

Notícias em alta