Hoje é 21 de fevereiro de 2024 04:07
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 04:07

Enem: 4 estudantes de Goiás têm nota mil na redação, nenhum da rede pública

Durante divulgação do resultado do exame, o ministro da Educação anunciou que alunos do 3º ano do ensino médio vão receber incentivo financeiro para participar do Enem
Resultado do Enem saiu na manhã desta terça-feira: dos 60 estudantes nota mil, somente quatro são da escola pública // Foto: Rafa Neddermeyer/Ag. Brasil

Dos mais de 2,7 milhões de participantes do Enem 2023, apenas 60 tiraram nota mil na redação, que tem peso significativo na seleção para entrada no ensino superior. Entre os 60, quatro são estudantes de Goiás, todos de escolas particulares.

O resultado do exame saiu na manhã desta terça-feira (16/1) e pode ser acessado aqui. Conforme o Instituto de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), dos 60 estudantes nota mil, somente quatro são da escola pública.

A maioria dos participantes que ganharam nota máxima no texto são dos estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Em ambos os estados, sete inscritos receberam nota mil.

As provas foram aplicadas nos dias 5 e 12 de novembro de 2023.

Além de avaliar o desempenho escolar dos estudantes ao término da educação básica, o Enem é a principal porta de entrada para a educação superior no Brasil, por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e de iniciativas como o Programa Universidade para Todos (Prouni).

Veja mais números de acordo com o estado

Alunos vão receber incentivo financeiro para fazer o exame

Também nesta terça-feira (16), o ministro da Educação, Camilo Santana, anunciou que alunos do 3º ano do ensino médio vão receber incentivo financeiro para participar do Enem. Dados da pasta mostram que cerca de metade dos estudantes que estavam concluindo o ensino médio em 2023 não participaram da última edição do Enem.

A informação sobre o auxílio foi divulgada durante coletiva de imprensa para divulgação dos resultados do Enem 2023. A pasta também liberou os resultados individuais dos participantes.

De acordo com o ministro, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva sanciona nesta terça-feira a lei que institui o programa Pé-de-Meia. A iniciativa prevê uma espécie de bolsa-poupança para que estudantes de baixa renda concluam o ensino médio.

“Posso adiantar aqui que haverá também um incentivo para o jovem que fizer o Enem.”

“Vai ser uma forma de estimular o jovem regular do ensino médio que vai receber esse auxílio financeiro nos 3 anos do ensino médio, mas, no último ano, no 3º ano, ele vai receber um percentual, um valor para fazer a prova do Enem”, explicou.

“Precisamos convencer e mostrar que, primeiro, não há custo nenhum para o jovem. Depois, que é a oportunidade que ele tem para acessar o ensino superior. Não há motivo de o jovem não fazer o Enem”, disse.

Outro agravante, segundo Santana, é que, dentre os que se inscreveram, muitos não chegaram a fazer a prova. Dos 1,4 milhão de concluintes do ensino médio que se inscreveram para o exame, apenas 1 milhão participaram efetivamente.

“Precisamos identificar os motivos em cada rede, em cada estado. E dialogar com as redes para identificar os motivos disso”, disse.

Compartilhar em:

Notícias em alta