Hoje é 22 de fevereiro de 2024 05:22
Hoje é 22 de fevereiro de 2024 05:22

Engenheiro é preso suspeito de agredir namorada grávida após chá revelação

Ele foi liberado após pagar fiança de R$ 17 mil reais e em depoimento à Polícia Civil negou as acusações de ameaça e agressão a companheira que deve obter da Justiça medida protetiva
Atos de violência ocorreram no último sábado e domingo depois da divulgação do sexo do bebê do casal // Fotos: Ascom PC-GO

Na tarde deste domingo (21), em Caldas Novas, sul do estado, um engenheiro de 26 anos foi preso sob a suspeita de agredir sua namorada grávida após a realização do chá revelação do sexo do bebê na noite anterior. A Polícia Civil (PC) informou que, durante o interrogatório, o homem negou as acusações e, após o pagamento de uma fiança no valor de R$ 17 mil, foi liberado.

O suspeito, cujo nome não foi divulgado, não teve sua defesa localizada até a última atualização desta matéria. A vítima, uma mulher de 35 anos, está no terceiro mês de gestação, e relatou à polícia que as agressões ocorreram na madrugada de sábado (20) e no horário do almoço do domingo (21).

Ainda segundo informações fornecidas pela vítima, após a celebração do chá revelação no sábado à noite, o engenheiro saiu sozinho para uma festa e retornou para casa de madrugada, visivelmente alterado. Nesse momento, teriam começado as ofensas, xingamentos e ameaças físicas, conforme detalhado em depoimento à polícia.

No dia seguinte, ao se encontrar novamente com a vítima no horário do almoço, novos atos de violência teriam ocorrido por parte do engenheiro. Diante disso, a vítima procurou imediatamente a polícia para denunciar o namorado. Minutos após a denúncia, o suspeito foi localizado e preso na casa de um tio.

Durante o interrogatório, o engenheiro admitiu ter proferido xingamentos à namorada, porém, negou as acusações de ameaças e agressões físicas. Ele foi autuado por injúria, ameaça e violência doméstica, sendo liberado após pagar fiança. A PC solicitou medidas protetivas de urgência ao Poder Judiciário para impedir que o engenheiro se aproxime da vítima.

Compartilhar em:

Notícias em alta