Hoje é 22 de fevereiro de 2024 03:29
Hoje é 22 de fevereiro de 2024 03:29

Equatorial assume distribuição de energia em Goiás com foco no atendimento ao cliente

Empresa projeta novas linhas de distribuição e subestações, redução de interrupções de fornecimento e canais ágeis de atendimento ao consumidor

Após assumir efetivamente o controle da Celg-D, em dezembro de 2022, o Grupo Equatorial Energia realizou uma coletiva de imprensa em Goiânia nesta terça-feira (3/1) para anunciar o plano de ações e investimentos na gestão da distribuição de energia elétrica em Goiás.

Na coletiva, o grupo citou um plano de 100 dias para atendimento aos 237 municípios da área de concessão, que abrigam 3,3 milhões de unidades consumidoras. Dentre as ações, serão realizados investimentos estruturais na melhoria de distribuição de energia e atendimento à demanda reprimida, com novas linhas de distribuição e subestações.  

A empresa é reconhecida pela recuperação e avanço no desempenho de companhias estaduais privatizadas, com modelo de gestão com eficiência e melhor alocação de recursos, com atenção à segurança e meio ambiente. Nos anos de 2015 e 2016, a Equatorial foi classificada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), como a melhor distribuidora de energia elétrica do país. 

O CEO do grupo, Augusto Miranda, destacou que a empresa tem experiências bem sucedidas na melhoria de companhias adquiridas, sempre com perfil de atuação na busca por resultados, operações de qualidade e ainda, gerando emprego e renda.

“temos experiências muito bem-sucedidas na aquisição e melhoria de companhias. Trabalhamos com cultura da busca por resultados, e nossos investimentos em Goiás vão garantir maior qualidade da operação, do atendimento e na geração de empregos e renda”, afirmou o CEO

“As ações começam com o plano de 100 dias, bastante robusto e que prevê iniciativas nas áreas técnicas, operacionais, comerciais e de relacionamento com os nossos clientes”, disse.

“Começamos aqui uma jornada de longo prazo em Goiás, e nos empenharemos muito para que ela resulte em mais desenvolvimento e qualidade de vida para a população do estado”, completou Augusto Miranda.

‘Precisamos eliminar sobrecarga’, diz presidente do grupo em Goiás

Dutante a coletiva, o presidente da Equatorial em Goiás, Lener Jayme, ressaltou que as ações e investimentos já estão projetadas para o Estado.

“A Equatorial mapeou todas as dificuldades da concessão e identificou oportunidades de melhoria do fornecimento de energia. Assim, vamos investir para garantir que todas as obras em curso sejam concluídas”, informou Lener Jayme.

“Vamos iniciar outras intervenções importantes, que contribuirão para melhoria significativa dos índices de qualidade de entrega de energia à população de Goiás”, destacou o presidente. 

Sobre o principal desafio da empresa em Goiás, o presidente pontuou que a Equatorial detectou que 44% das unidades transformadoras estão com sobrecarga, o que dificulta a conexão para novos clientes.

“Precisamos eliminar essa sobrecarga, seja por meio da construção de novas subestações ou pela criação de novos pontos de suprimento de energia”, explicou Lener.  

No acordo estabelecido com a Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica, a Equatorial terá três anos sem risco de caducidade do contrato. A Agência aprovou, ainda, a fiscalização apenas com o caráter orientativo no primeiro ano da assinatura do aditivo ao contrato de concessão. 

Meta é reduzir frequência de interrupção do fornecimento de energia 

Entre as primeiras ações pontuadas pela direção da empresa está a disponibilização de canais digitais para agilizar o atendimento às demandas dos consumidores, de modo a reduzir o tempo e frequência de interrupção do fornecimento de energia.  

O grupo apresentou um Centro de Operação Integrado (COI), que coordena ocorrências sobre fornecimento. O consumidor terá à disposição um canal direto de WhatsApp, agências e aplicativo, além de site e call center. A primeira etapa prevê, ainda, melhoria do padrão tecnológico das redes de distribuição e investimento em automação de redes e subestações.  

Plano de 100 Dias 

No modelo de gestão da Equatorial, o plano de 100 dias, citado na coletiva, projeta três novas subestações, três novas linhas de subtransmissão (com 46,7 quilômetros), 9,6 mil novas ligações de baixa e média tensão e 98,5 mil de baixa tensão. 

As principais obras serão a construção de subestações Riviera e Aparecida; Barro Alto–Goianésia; Anhanguera–Real, e ampliação das subestações Goianésia, Anápolis Universitário, Atlântico, Bom Jardim, Araçu, Jundiaí e Goianira. Em destaque também, o projeto JK-Jataí (que atende os municípios de Jataí, Rio Verde, Chapadão do Céu, Montividiu) e a linha de distribuição Pireneus-Daia. 

Entre outros projetos, o Riviera, que prevê linha de distribuição e nova subestação para atender Goiânia, Aparecida de Goiânia e Senador Canedo, e ainda o projeto Aparecida, que atenderá outras demandas da capital e Aparecida. 

Empresa tem 13% do mercado de distribuição de energia elétrica no país

A Equatorial Energia é hoje o 3º maior grupo de distribuição do país em número de clientes. A Companhia avançou na consolidação do setor de distribuição de energia no Brasil e, atualmente, atua em seis concessionárias, nos estados do Maranhão, Pará, Piauí, Alagoas, Rio Grande do Sul e Amapá, atendendo cerca de 10 milhões de clientes nessas regiões.

Com a recente aquisição da Celg-D, ampliou a atuação no segmento de distribuição para o Centro-Oeste, adicionando mais de 3 milhões de clientes. 

Com a chegada em Goiás, o grupo passa a estar presente em 31% do território nacional, atendendo 15% do total de consumidores brasileiros e respondendo por 13% do mercado de distribuição de energia elétrica do país.

Compartilhar em:

Notícias em alta