Hoje é 21 de fevereiro de 2024 11:32
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 11:32

Goiás alcançou melhor índice nacional de redução do desmatamento

Registrados pelo Projeto de Monitoramento do Cerrado, dados foram divulgados nesta semana pelo Ministério do Meio Ambiente; Estado computou o maior percentual de recuo entre todas as unidades federativas em que ocorre o bioma Cerrado
Goiás pontuou em 18% de redução no período entre agosto/2022 a julho/2023, em comparação ao mesmo período no ano anterior // Foto: Luciano Candisani

Dados divulgados esta semana pelo Prodes Cerrado validaram os esforços desenvolvidos pela atual gestão pela meta de zerar o desmatamento no Estado até 2030. O desmatamento em Goiás caiu 18% entre agosto de 2022 e julho de 2023, quando comparado com o mesmo período entre 2021 e 2022. Este foi o maior percentual de recuo no desmatamento entre todas as unidades federativas em que ocorre o bioma Cerrado.

Na sequência, aparecem o Mato Grosso (-17%), Minas Gerais (-12%) e Piauí (-5%). As maiores altas aconteceram na Bahia (38%), no Mato Grosso do Sul (14%), no Tocantins (5%) e no Maranhão (3%).

“Esse resultado só prova nosso compromisso com o meio ambiente e o desmatamento zero no estado. Temos fiscalização e a preocupação constante com práticas agrícolas sustentáveis”, comemorou o governador Ronaldo Caiado.

Andrea Vulcanis, secretária de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável, destacou que os dados refletem muito trabalho:

“Estamos desenvolvendo isso ao longo dos últimos cinco anos. Temos que comemorar e agradecer aos produtores rurais e todo setor produtivo que está colaborando conosco para que os números sejam positivos”, salientou a secretária.

Foto: Lucas Diener

Em setembro deste ano, o governo de Goiás foi pioneiro ao assinar junto a entes públicos, privados, produtores, entidades do agronegócio, representantes da economia mineral e industrial, um pacto para zerar o desmatamento ilegal em todo o território goiano. O documento prevê a redução gradativa do desmatamento no estado, com a expectativa de reduzir até 2025 cerca de 25% das atividades ilegais que prejudicam o meio ambiente e a meta é zerar este número em 2030.

Compartilhar em:

Notícias em alta