Hoje é 21 de fevereiro de 2024 12:28
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 12:28

Goiás começa a vacinar contra a dengue em fevereiro

Estado deverá receber doses durante o ano de acordo com capacidade de fornecimento do fabricante da imunizante; Ministério da Saúde ainda não divulgou estratégia de vacinação e público prioritário
Flúvia Amorim, superintendente Estadual de Vigilância em Saúde: “Teremos vacina contra a dengue, mas não temos ainda contra a chikungunya e a zika, doenças também transmitidas pelo mesmo mosquito” // Foto: Divulgação/SES

A população do estado de Goiás começará a ser vacinada contra dengue a partir de fevereiro. A vacina tem o nome de Qdenga e ainda não está definido qual será o público prioritário a ser imunizado, já que o número de vacinas está limitado em função da capacidade de entrega do laboratório fornecedor das doses.

O Brasil é o primeiro país a realizar vacinação pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Dados do Ministério da Saúde informam que, em 2024, o Brasil deve receber 5 milhões de doses do imunizante, quantidade máxima que o laboratório disponibilizou. Em fevereiro, Goiás deve receber 460 mil doses.

Nesta segunda-feira (15/1), o Programa Nacional de Imunizações (PNI) se reuniu em Brasília com a Câmara Técnica de Assessoramento em Imunização (CTAI), colegiado de caráter consultivo, para debater estratégias de utilização do quantitativo da vacina Qdenga disponível. Essa é uma etapa fundamental no processo de incorporação da vacina e definição de estratégia de imunização.

O próximo passo é definir a operacionalização, como público alvo e regiões para aplicação das doses. Essa estratégia será pactuada na próxima Comissão Intergestores Tripartite (CIT), foro permanente de negociação, articulação e decisão entre gestores estaduais e municipais do SUS. A distribuição das doses deverá ser escalonada ao longo do ano, conforme o cronograma de entregas da empresa. Após a definição em conjunto com estados e municípios, o Ministério da Saúde irá divulgar a estratégia de vacinação e o público prioritário. A previsão é que a reunião aconteça ainda em janeiro.

“Teremos vacina contra a dengue, mas não temos ainda contra a chikungunya e a zika, que são outras duas doenças transmitidas pelo mesmo mosquito. Mesmo com a vacina contra dengue entrando no calendário, as medidas de controle do mosquito Aedes aegypti precisarão continuar”, afirmou Flúvia Amorim, superintendente Estadual de Vigilância em Saúde da SES.

Há décadas o país sofre com a doença, que tem causado muitos transtornos à população. Dados do Ministério mostram que em 2023 houve crescimento de 5,4 % no caso de mortes por dengue, totalizando 1053 vítimas.

Secretaria instala estratégia contra Aedes aegypti

Reunião em Águas Lindas de Goiás com presença de gestores da SES, representantes do município e de instituições parceiras

Para combater as doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti, em especial a dengue, chikungunya e zika, o Governo de Goiás instalou uma estratégia coordenada para apoio aos 246 municípios goianos. A ação é realizada por meio de parceria entre a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e a Defesa Civil de Goiás, que ajudará na coordenação tanto da Sala de Situação Estadual quanto nas salas de situação dos municípios.

A instalação da estratégia coordenada aconteceu nesta segunda-feira (15/01), no prédio da Coordenação de Vigilância em Saúde de Águas Lindas de Goiás, durante reunião realizada pela alta gestão da SES com representantes do município e de instituições parceiras. Participaram da reunião o secretário de Estado da Saúde de Goiás, Sérgio Vencio; o superintendente de Planejamento da SES, Rasivel dos Reis Santos Júnior; o subsecretário de Vigilância e Atenção Integral à Saúde, Luciano Moura; o prefeito de Águas Lindas de Goiás, Lucas Antonietti; e a secretária do Entorno do Distrito Federal, Maria Caroline Fleury, entre outras autoridades.

Águas Lindas de Goiás foi escolhido para o início da ação coordenada devido ao cenário epidemiológico e à importância no Estado. O município registrou um aumento de casos de dengue no final de 2023, acendendo o sinal vermelho para uma epidemia da doença na cidade.

Os dados da SES revelam que só em 2024 foram notificados 431 casos de dengue em Águas Lindas de Goiás, com nenhuma morte confirmada. O número de notificações indica um aumento de 180% em relação ao mesmo período do ano passado.

O secretário Sérgio Vencio destacou que a Sala de Situação Municipal será estruturada em todos os municípios onde for necessário, dentro de um compartilhamento de responsabilidades.

“O enfrentamento das arboviroses é um problema de todos nós”, sublinhou.

Ele destacou que o Estado vai se responsabilizar pela coordenação das ações, repasse de insumos necessários, como o soro para reidratação oral, e pela atualização de médicos, enfermeiros e agentes de saúde. Ele adiantou que a SES firmou parceria com a Universidade Federal de Goiás para a capacitação dos profissionais de saúde.

Sérgio Vencio ressaltou a importância da roçagem de lotes e da coleta de lixo urbano em cada município.

“O governador vai convidar as crianças matriculadas em escolas públicas para serem os agentes mirins de mobilização nas unidades de ensino e nos lares, para que os domicílios goianos estejam livres de criadouros”, disse.

Compartilhar em:

Notícias em alta