Hoje é 15 de abril de 2024 02:03
Hoje é 15 de abril de 2024 02:03

Goiás enfrenta nova onda de Covid-19 com aumento de casos e mortes em 2024

Apesar de mais de 900 salas de vacinação estarem disponíveis em Goiás, a cobertura vacinal ainda é baixa no estado, com apenas 12,70% da população vacinada com a Bivalente
Farmácias de Goiânia registram a falta de testes rápidos e cidades do interior cancelaram festas de Carnaval como medida de prevenção à doença

Goiás está enfrentando uma nova onda de casos de Covid-19, conforme informações da  Secretaria de Estado da Saúde (SES-GO). Entre janeiro e fevereiro deste ano, cerca de 8.678 pessoas foram diagnosticadas e 14 perderam a vida devido às complicações da doença. A maioria dos óbitos ocorreu entre idosos. Já em 2023, nas cinco primeiras semanas, foram registrados 28.359 casos e 73 mortes, com destaque para a faixa etária de 30 a 49 anos.

A SES-GO revela também que as cinco últimas semanas de 2023 contabilizaram 1.697 casos, contrastando com as primeiras semanas de 2024, que notificaram 8.309 casos. Essa comparação aponta para um alarmante aumento de 389% nos registros de Covid-19 em Goiás em 2024.

Por outro lado, ao comparar os casos confirmados nas cinco primeiras semanas de 2023 (28.359 casos) com o mesmo período de 2024 (8.309 casos), observa-se uma redução de 70% nos registros da doença no estado.

Em entrevista ao Portal Notícias Goiás, o secretário estadual de Saúde, Rasível dos Santos, alertou para a necessidade de completar o esquema vacinal contra a doença, bem como tomar a vacina para prevenção do contágio pela doença. “Os casos de Covid-19 também estão aumentando em Goiás, então continuaremos com a estratégia da vacinação. Recomendamos às pessoas que completem o ciclo de vacinação. Temos vacinas de Covid-19 para todas as pessoas, especialmente para aquelas que ainda não se vacinaram com nenhuma dose. A vacina evita internações e mortes pela doença, especialmente neste período em que vivemos uma epidemia com a dengue, o que pode gerar dificuldades para nosso sistema público de saúde”, destacou.

O avanço da doença após os festejos de Carnaval está gerando preocupação na SES-GO, que reforça as recomendações do Ministério da Saúde para a prevenção da Covid-19. Atualmente, apenas 77,39% da população recebeu ambas as doses do imunizante, enquanto a vacinação com a Bivalente, eficaz contra as variantes do vírus, atingiu apenas 13,81%.

O secretário municipal de Saúde de Aparecida de Goiânia, Alessandro Magalhães, atualizou em entrevista ao Portal NG os números de caso da Covid-19 no município, em 2024, bem como as ações tomadas pelo município para o combate à doença e os cuidados para sua prevenção. “Nós tivemos cerca de 780 casos registrados com um óbito neste ano. Felizmente não tivemos nenhum caso de internação e nem pressão por internações médicas. Temos um aumento no número de testes rápidos. O que recomendamos são a retomada das medidas de prevenção anteriormente feitas, bem como a vacinação contra a Covid-19, que está disponível em todas as nossas unidades básicas de saúde e na nossa Central de Imunização que funciona inclusive aos sábados”, reforçou.

Baixa Cobertura Vacinal em Goiás: Apenas 12,70% tomaram a dose para a Bivalente

Apesar de mais de 900 salas de vacinação estarem disponíveis em Goiás, a cobertura vacinal ainda é baixa no estado, com apenas 12,70% da população vacinada com a Bivalente, conforme dados da SES-GO. Desde o início de 2024, a vacina contra a Covid-19 tornou-se obrigatória para crianças de 6 meses a menores de 5 anos, sendo oferecida no Calendário Nacional de Vacinação para grupos prioritários.

Entre os grupos com maior risco de desenvolver as formas graves da Covid e que devem ser priorizados durante a vacinação a partir deste ano estão: idosos, imunocomprometidos, gestantes e puérperas, trabalhadores da saúde, pessoas com comorbidades, indígenas, ribeirinhos e quilombolas, pessoas vivendo em instituições de longa permanência e seus trabalhadores, pessoas com deficiência permanente, pessoas privadas de liberdade maiores de 18 anos, adolescentes e jovens cumprindo medidas socioeducativas, funcionários do sistema de privação de liberdade e pessoas em situação de rua.

Em entrevista ao Portal NG, a superintendente de Vigilância em Saúde do Estado de Goiás, Flúvia Amorim, falou sobre a importância da vacina contra o coronavírus na prevenção da doença e suas complicações. “Dentre as doenças respiratórias graves a Covid-19 ainda é a mais letal, especialmente para os grupos prioritários. Aos idosos recomendamos a repetição da vacina a cada seis meses. Recomendamos também às pessoas que não completaram seu esquema vacinal, que completem, especialmente a dose bivalente. E aos que ainda não tomaram a vacina, para se vacinarem. As vacinas disponíveis foram testadas pela Anvisa e têm garantia de segurança e eficácia”, frisou.

Falta de testes rápidos em farmácias de Goiânia e cancelamento de festas no interior

Em meio à nova onda de casos, as farmácias de Goiânia enfrentam escassez de testes rápidos para Covid-19, conforme relato da Associação dos Farmacêuticos de Goiás (Sinfargo). A falta pode se agravar após o Carnaval, mas o Sinfargo acredita que será temporária, pois as distribuidoras poderão repor os estoques.

O Sinfargo destaca que os preços dos testes rápidos nas farmácias de Goiânia tiveram um aumento médio de 65%, impulsionado pela crescente demanda e desabastecimento. Nas farmácias onde ainda há estoque, os preços giram em torno de R$ 79,90.

Os resultados positivos nos testes rápidos da Covid-19 tiveram um leve aumento em Goiânia, passando de 20% para 23%, segundo informações divulgadas pela Prefeitura. A busca pelo teste também cresceu, com mais de 14% de aumento durante os quatro dias de Carnaval.

Preocupadas com o aumento de casos, diversas cidades goianas, incluindo Guapó, Vicentinópolis, Pontalina, Bom Jesus de Goiás, Itapuranga, Goiatuba, Petrolina de Goiás e São Francisco de Goiás, cancelaram as comemorações de Carnaval este ano. Goiatuba, por exemplo, cancelou o evento “Carnatuba” visando proteger a saúde da população e reduzir os casos de Covid-19.

Compartilhar em:

Notícias em alta