Hoje é 23 de junho de 2024 22:07
Hoje é 23 de junho de 2024 22:07

Governo de Goiás reforça policiamento no Entorno do DF e atua pela desmobilização de acampamentos

Governador reforçou que "toda área que for de responsabilidade do Governo de Goiás será esvaziada"; mais tarde, vice-governador Daniel Vilela se encontra com presidente Lula na capital federal

Diante dos ataques terroristas registrados em Brasília no domingo (8/1), o governador Ronaldo Caiado afirmou, na manhã desta segunda-feira (09/01), que o policiamento segue reforçado na região do Entorno do Distrito Federal. Caiado interrompeu licença médica e retornou a Goiânia para tratar pessoalmente do assunto, iniciando a agenda do dia em reunião com o secretário de Segurança Pública e com os chefes das polícias Militar e Civil.

“O Batalhão de Choque da região do Entorno do Distrito Federal está de prontidão. A continuidade das mobilizações para a capital federal dependerá das medidas a serem tomadas”, afirmou Caiado, que recebeu um telefonema do ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha e colocou tropas à disposição para envio a Brasília, caso haja sinalização nesse sentido pelo governo federal.

Também estiveram presentes na reunião, na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública, o vice-governador de Goiás, Daniel Vilela; o diretor-geral de Administração Penitenciária e o chefe do Estado-Maior Geral do Corpo de Bombeiros Militar de Goiás, entre outras autoridades.

Na oportunidade, Caiado reforçou posicionamento contrário aos atos de vandalismo e violência registrados nas sedes dos Três Poderes, na capital federal.

“Seguimos atentos a quaisquer distúrbios que possam acontecer. Não podemos, de maneira alguma, admitir que resultado de eleição possa dar margem a esse tipo de atitude que vimos. As ações de Goiás vêm em conformidade com aquilo que sempre zelei e sempre fiz compromisso: manter as regras democráticas”, afirmou.

Questionado sobre medidas para desmobilização de acampamentos montados por radicais no estado, o governador reforçou que “toda área que for de responsabilidade do Governo de Goiás será esvaziada”. O governo também realiza articulação, junto ao Exército Brasileiro, para que o mesmo seja feito nas áreas de quartéis, como no Jardim Guanabara, em Goiânia.

Compartilhar em:

Notícias em alta