Hoje é 21 de julho de 2024 16:17
Hoje é 21 de julho de 2024 16:17

Homem é preso em Goiás por armazenar e divulgar fotos da filha de 09 anos

Polícia Civil prendeu o pai da criança em flagrante. Suspeito admitiu ser o autor das conversas e usava perfis em redes sociais para anunciar encontros sexuais envolvendo a menina
Operação da Polícia Civil em Goiás prende suspeito de armazenar imagens de exploração infantil // Foto Polícia Civil

A Polícia Civil de Goiás, por meio da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Cibernéticos (DERCC), prendeu um homem de 39 anos em Aparecida de Goiânia na última terça-feira (09/07). O suspeito foi detido em flagrante por armazenar imagens de exploração sexual infantil, conforme o artigo 241-B do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

A investigação começou com a identificação de atividades suspeitas de armazenamento de material pornográfico infantil em plataformas cibernéticas. Durante o processo, descobriu-se que o suspeito usava perfis em redes sociais e salas de bate-papo para anunciar encontros sexuais envolvendo sua filha, que tinha entre 7 e 9 anos na época. Durante o interrogatório, o homem admitiu ser o autor das conversas, mas afirmou que se tratavam de ficção e fantasia. A delegada Marcella Orçai enfatizou que, independentemente da justificativa, tais práticas configuram crime hediondo. O suspeito foi autuado em flagrante por armazenar arquivos de exploração sexual infantil encontrados em seus dispositivos.

O homem usava perfis em redes sociais e salas de bate-papo para anunciar encontros sexuais envolvendo a filha // Foto Divulgação Polícia Civil

O suspeito não residia com a filha, mas tinha acesso a ela, ficando sozinho com a criança em diversas ocasiões. As autoridades estão investigando se a mãe da menina tinha conhecimento das atividades do suspeito. A investigação continua sob sigilo, com foco na proteção da criança e na determinação da concretização dos atos mencionados nas conversas. A DERCC está empenhada em identificar se houve a prática real dos crimes e assegurar a proteção da vítima.

A Polícia Civil alerta que o envolvimento em atividades de exploração infantil, mesmo que apenas em conversas virtuais, é considerado crime e será investigado e punido.

Compartilhar em:

Notícias em alta