Hoje é 23 de junho de 2024 20:57
Hoje é 23 de junho de 2024 20:57

Israel declara guerra após ataque do Hamas

Ataques deixaram pelo menos 40 pessoas mortas e mais de 700 feridas; mais de 5 mil bombas foram lançadas
Movimento islâmico armado Hamas bombardeou Israel na manhã deste sábado | Foto: Ahmad Gharabl/AFP

Israel foi bombardeada na manhã deste sábado (7/10) pelo movimento islâmico armado Hamas. O ataque surpresa é considerado um dos maiores sofridos pelo país nos últimos anos.

Dezenas de foguetes foram lançados e, em comunicado, os militares de Israel afirmaram que vários terroristas infiltraram-se no território israelita a partir da Faixa de Gaza.

De acordo com o grupo Hamas, o ataque se trata do início de uma grande operação para a retomada do território. Os serviços de emergência de Israel, informaram que ao menos 40 pessoas morreram e outras 740 ficaram feridas.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, respondeu aos ataques e disse que seu país está em estado de guerra. O premiê lançou a operação “Espadas de Ferro” e convocou uma reunião de emergência com autoridades de segurança e convocou uma grande quantidade de reservistas.

O ministro da Defesa do país, Yoav Galant, afirmou que o Hamas cometeu um grande erro.

O premiê israelense também pediu aos cidadãos que sigam as instruções de segurança. A recomendação é que as pessoas fiquem próximas a prédios e espaços protegidos.

“As Forças de Defesa de Israel defenderão os civis israelenses e a organização terrorista Hamas pagará um alto preço pelas suas ações”, disse o comunicado divulgado pelos militares israelenses.

Homens armados atiraram contra pedestres 

Ainda, segundo a imprensa israelense, homens armados atiraram contra pedestres na cidade de Sderot, no sul do país. Imagens que circulam pelas redes sociais indicam haver um confronto nas ruas da região.

“Este é o dia da maior batalha para acabar com a última ocupação”, afirmou Mohammad Deif, comandante do Hamas.

Segundo a mídia palestina, vários israelenses foram feitos prisioneiros por combatentes. O Hamas ainda divulgou imagens mostrando o que seria um tanque israelense destruído.

O grupo Jihad Islâmica Palestina disse que seus combatentes se juntariam ao Hamas no ataque contra Israel.

“Fazemos parte desta batalha, os nossos combatentes estão lado a lado com os seus irmãos nas Brigadas Qassam até que a vitória seja alcançada”, disse o porta-voz do braço armado da Jihad Islâmica, Abu Hamza, no Telegram.

Hamas é o maior grupo da Palestina 

O Hamas é o maior grupo da Palestina e é classificado como terrorista por Israel, Estados Unidos, União Europeia e Reino Unido, bem como outras potências globais.

O nome em árabe é um acrônimo para Movimento de Resistência Islâmica, que teve origem em 1987 após o início da primeira intifada palestina contra a ocupação israelense da Cisjordânia e da Faixa de Gaza.

Compartilhar em:

Notícias em alta