Hoje é 15 de abril de 2024 02:16
Hoje é 15 de abril de 2024 02:16

Massa de ar quente aumenta temperaturas em Goiás, diz Inmet

Mesmo com temperaturas acima da média, o estado tem previsão de pancadas de chuva e tempestades isoladas; calor vai ficar mais concentrado no Sudoeste goiano
Segundo o Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás, calor é resultado de uma massa de ar quente originada no Paraguai, que exerce influência sobre regiões do Brasil // Foto: arquivo

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) emitiu um aviso sobre temperaturas acima da média nos próximos dias em Goiás. Conforme indicado pelo órgão, espera-se um aumento de até 3°C nas temperaturas do estado. Esse aumento está previsto para persistir até o dia 19 de março, afetando principalmente as regiões Centro Sul e Norte.

De acordo com o gerente do Centro de Informações Meteorológicas e Hidrológicas de Goiás (Cimehgo), André Amorim, o calor é resultado de uma massa de ar quente originada no Paraguai, que está exercendo influência sobre várias regiões do Brasil. Uma área de alta pressão associada a essa massa de ar quente está gerando uma onda de calor em algumas áreas.

Essa área de alta pressão atua como uma espécie de “tampa” na atmosfera, inibindo a formação de nuvens e comprimindo o ar nas camadas inferiores, tornando-o mais quente e seco, o que contribui para a onda de calor.

Elizabete Ferreira, meteorologista do Inmet, esclarece que, embora tenha havido um aumento nas temperaturas, não pode ser considerado uma onda de calor, que requer uma elevação de cinco graus acima da média e persistência por vários dias consecutivos.

André Amorim prevê que o calor continuará até o final de semana, concentrando-se principalmente no Sudoeste goiano. Essa mudança climática é resultado da influência de uma onda de calor que está mais intensa no Mato Grosso do Sul.

Apesar do aumento das temperaturas, Amorim ressalta que o estado continua sob alerta de chuvas intensas, com precipitação entre 20 e 30 mm/h, acompanhadas de rajadas de vento superiores a 60 km/h e raios. Ele acrescenta que as chuvas irregulares devem persistir devido à umidade proveniente da região norte do país, combinada com o calor, o que favorece a instabilidade atmosférica.

Compartilhar em:

Notícias em alta