Hoje é 25 de fevereiro de 2024 15:17
Hoje é 25 de fevereiro de 2024 15:18

Maysa Cunha é empossada prefeita interina de Iporá no lugar de Naçoitan Leite

Presidente da Câmara de Vereadores realizou sessão no final da tarde de ontem em sala do legislativo com a presença de um número restrito de pessoas por questões de segurança
Nas redes sociais Maysa Cunha comemorou sua posse e deixou uma mensagem de esperança para o povo iporaense // Fotos: Instagram

Na noite desta segunda-feira (04), o presidente da Câmara Municipal de Iporá, Adriano Sena (MDB), desmarcou a sessão pública previamente agendada para hoje (05/12) e antecipou em cerimônia reservada a posse da vice-prefeita Maysa Cunha (PP) na gestão interina da cidade de Iporá. A solenidade, realizada sem convites oficiais, aconteceu em uma sala do Legislativo Municipal, fora do plenário, com presença reduzida. Durante o dia, secretários municipais e advogados ligados ao prefeito afastado, Naçoitan Leite (sem partido), tentaram sem sucesso adiar a posse para a próxima quinta-feira (07).

Maysa Cunha assume interinamente a prefeitura, enquanto Naçoitan permanece preso, enfrentando acusações do Ministério Público por tentativa de feminicídio contra sua ex-mulher e homicídio contra o atual namorada de sua ex, além de crimes de fraude processual e posse ilegal de arma de fogo. A solenidade de posse em reservado foi justificada oficialmente sob a alegação de suposto risco à segurança em um possível evento maior.

Em entrevista à imprensa, a nova prefeita revela que todos os cargos de primeiro escalão serão substituídos, anunciando uma gestão compartilhada com os vereadores, inclusive da base do prefeito afastado. Os aliados de Naçoitan tentaram adiar a posse, mas o prazo de 15 dias, determinado pela Lei Orgânica do Município, expirou nesta segunda-feira e foi cumprido rigorosamente pela Câmara Municipal.

Em suas redes sociais, ainda na noite de ontem (04/12) a prefeita Maysa Cunha publicou uma mensagem direcionada aos cidadãos de Iporá. “Olá população iporaense! hoje às 17h15 horas tomamos posse como prefeita da nossa querida Iporá-GO. Quero externar meus agradecimentos em primeiro lugar a Deus, aos meus familiares e a vocês, população! O meu muito obrigada. Vamos juntos enquanto Deus permitir, lutar por uma cidade melhor, agindo conforme a Lei. Deus seja louvado pela vida de cada um de vocês, vamos com fé, força e coragem!”, escreveu a nova chefe do executivo.

Nova gestão prioriza mudanças no secretariado, diálogo com a Câmara e foco em políticas públicas

Maysa Cunha, em sua gestão interina, preferiu não comentar as pressões realizadas por aliados do prefeito afastado, enfatizando que seu foco é a gestão do município. A nova prefeita alega que a cidade está desassistida há vários dias, com políticas públicas interrompidas, especialmente na área de saúde, onde falta estrutura para a realização de exames, e na busca por soluções para aumentar a empregabilidade local.

Apesar de evitar o embate político direto com o grupo de Naçoitan, com quem está rompida desde 2021, a prefeita interina planeja abrir espaços para a indicação de cargos por vereadores na administração. Ela marcou uma reunião com os parlamentares para discutir a situação após a exoneração de todo o secretariado, prometida para a manhã desta terça-feira (5).

Maysa Cunha afirma que a substituição de todos os secretários do primeiro escalão será realizada para atender ao perfil de trabalho que se alinha com a visão holística de desenvolvimento socioeconômico. Ela destaca que a escolha será entre nomes capacitados de Iporá, visando passar segurança à população.

A prefeita interina manifesta a intenção de estabelecer uma relação mais próxima com os vereadores, destacando que a gestão será compartilhada e descentralizada. Ela marca uma reunião com os vereadores para apresentar essa visão de gestão pública, ressaltando que a indicação de cargos será técnica, priorizando a produtividade dos servidores.

A presidente da CEI na Câmara, Heb Keller Fernandes (Republicanos), aliada da prefeita, acredita que os resultados da nova gestão serão cruciais para a aprovação de eventual impeachment contra o prefeito afastado. Até o afastamento, Naçoitan contava com o apoio de 10 dos 13 vereadores, mas a situação pode mudar se a prefeita souber construir um relacionamento positivo com a Câmara. O prefeito afastado e preso tem até quarta-feira (06/12) para apresentar sua defesa por escrito na fase inicial dos trabalhos da Comissão Especial de Inquérito.

Compartilhar em:

Notícias em alta