Hoje é 21 de fevereiro de 2024 04:37
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 04:37

Mutirão do Desenrola terá apoio dos bancos que irão ampliar horário de atendimento

Estudantes que devem o FIES e pessoas que ganham até dois salário mínimos por mês e tem dívidas de até R$ 20 mil reais terão prioridade no Dia D realizado nesta quarta-feira
Caixa e Banco do Brasil seguem atendendo até às 16 horas e outros bancos irão funcionar de acordo com a política interna própria // Foto: Ascom Caixa

Pessoas que devem até R$ 20 mil reais e têm rendimentos mensais de até dois salários terão uma oportunidade de negociar seus débitos no mutirão de renegociação de dívidas do Programa Desenrola Brasil realizado nesta quarta-feira, dia 22. O projeto realiza o Dia D em parceria com os bancos, as organizações da sociedade civil e outros credores.

Bancos estatais como a Caixa Econômica Federal e o Banco do Brasil abrem as agências uma hora mais cedo e os bancos privados funcionam em horário estendido, de acordo com a política interna de cada instituição para receber os interessados em negociar suas dívidas.

Além de dívidas comerciais, cerca de 1,2 milhão de estudantes ou formados inadimplentes com o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) podem renegociar as dívidas também com até 99% de desconto. O devedor deve procurar a agência do banco responsável pelo financiamento.

Dia D marca abertura de nova etapa de negociações

Desde segunda-feira (20), o Programa Desenrola Brasil entrou numa nova fase. A Faixa 1 do programa, destinada à renegociação a devedores com renda de até dois salários mínimos ou inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico), passou a renegociar dívidas de até R$ 20 mil.

Débitos de R$ 5.000,01 a R$ 20 mil, após a atualização dos valores, podem ser refinanciados até 30 de dezembro. Após esse prazo, os descontos serão mantidos, mas a dívida só poderá ser quitada à vista. A Faixa 1 abrange dívidas bancárias, como cartão de crédito, e as contas atrasadas de outros setores, como energia, água e comércio varejista.

Para acessar a plataforma de renegociação, o consumidor precisa ter cadastro no Portal Gov.br, com conta nível prata ou ouro e estar com os dados cadastrais atualizados. Em seguida, o devedor terá de escolher uma instituição financeira ou empresa inscrita no programa para fazer a renegociação. Em seguida, bastará selecionar o número de parcelas e efetuar o pagamento.

Compartilhar em:

Notícias em alta