Hoje é 15 de abril de 2024 02:56
Hoje é 15 de abril de 2024 02:56

Nova maternidade de Aparecida de Goiânia terá nome da mãe da primeira-dama

Vereadores aprovaram projeto de lei que muda o nome do Hospital Garavelo, comprado pela prefeitura, para Maternidade Maria da Cruz Gomes Santana
Projeto de autoria do vereador Fábio Ideal com a mudança de nome será encaminhado para o prefeito sancionar // Fotos: Marcelo Silva/PORTAL NG

Os vereadores de Aparecida de Goiânia aprovaram, durante a sessão plenária desta terça-feira (2/4) o Projeto de Lei Nº 021/2024, que trata da mudança do nome da Organização Hospitalar Garavelo Ltda., conhecido como Hospital Garavelo, para Maternidade Maria da Cruz Gomes Santana. O projeto é de autoria do vereador Fábio Ideal (PP).

Fábio Ideal (foto) justifica que a homenageada teve grande impacto na comunidade, especialmente na região do Setor Garavelo, com sua dedicação, generosidade e empatia no cuidado com as mães e os bebês recém-nascidos. Maria da Cruz Gomes Santana é mãe da primeira-dama do município e secretária de Assistência Social, Sulnara Santana. Ela morreu de Covid-19.

“E o nome da Maria da Cruz, que a gente está nomeando e colocando o nome dela na unidade, é uma pessoa que morou a vida toda na cidade, criou sua família na cidade e ajudou no crescimento da cidade. Então, é muito justo a gente está colocando o nome dela”, afirma o vereador.

Fábio Ideal destaca que a nova maternidade, que deve ser inaugurada nas próximas semanas, está à altura das mães da cidade.

“Hoje a população de Aparecida tem condições de dizer que tem uma maternidade digna para fazer o parto com segurança na nossa cidade”, diz.

A aquisição do Hospital Garavelo foi feita ao custo de R$ 35 milhões. Desse total, R$ 20 milhões foram recursos repassados pelo Governo Federal.

“Além disso, aquela unidade hospitalar está deixando de ser uma unidade privada, que é o antigo Hospital Gravelo, e dando início a uma nova maternidade municipal, dentro da cidade de Aparecida de Goiânia. Então, a homenagem é muito justa”, frisa.

Após a proposta ser sancionada pelo prefeito, a Unidade de Saúde terá até 90 dias a contar da publicação oficial da lei para atualizar todos os documentos, placas, sinalizações e registros com a nova nomenclatura.

Capacidade – A Maternidade Maria da Cruz terá cerca de 100 leitos e duas Unidades de Terapia Intensiva (UTI), sendo uma neonatal e outra geral, para pacientes que darão à luz no local. Apesar da quantidade de leitos, apenas 60 devem estar disponíveis inicialmente. A unidade no Garavelo substitui a Maternidade Marlene Teixeira, que será transformada em uma Unidade Básica de Saúde (UBS), no Setor Vila Brasília.

Compartilhar em:

Notícias em alta