Hoje é 24 de maio de 2024 06:51
Hoje é 24 de maio de 2024 06:51

Parlamentares goianos Silvye e Gayer discutem sobre projeto de lei

Segundo a jornalista, o pré-candidato à prefeitura de Goiânia teria mentido ao dizer que ela seria a favor do PL-889/2017, que aumenta os impostos sobre as plataformas de streaming
Silvye e Gayer discutem sobre projeto de lei PL-889/2017, que aumenta os impostos sobre as plataformas de streaming

Nesta terça-feira (14), a sessão na Câmara dos Deputados foi marcada por ofensas e acusações entre Silvye Alves (União Brasil) e Gustavo Gayer (PL). Os parlamentares goianos discutiram sobre a votação do projeto de lei 889/2017, de autoria de Paulo Teixeira (PT), que aumentaria os impostos sobre as plataformas de streaming no Brasil.

O pré-candidato à prefeitura de Goiânia afirmou que o projeto iria instaurar a “censura” nos meios de comunicação do país, e comentou que a deputada Silvye teria se manifestado a favor da urgência para a votação da pauta no plenário. Algo que ela refutou alegando que foi a favor da urgência para que o projeto fosse apreciado e vetado, já que todo o seu partido é contra a proposta.

Gayer teria divulgado uma lista dos parlamentares que votaram a favor da urgência do projeto em agosto de 2023, afirmando que, caso fosse aprovado, seria prejudicial para a liberdade de imprensa no país. Relação em que constava o nome de Silvye Alves.

Ao saber disso, a deputada se manifestou no plenário: “Este cara acabou de mentir para todo o estado de Goiás que eu votei a favor para aumentar Netflix”, afirmou. “Isto não aconteceu. Isto é uma fake news. Em agosto do ano passado, era um projeto completamente diferente, Gustavo Gayer. Aprenda a dizer a verdade”, complementou ela se dirigindo ao colega. “Você respeita o parlamentarismo desta casa”, disse Silvye, antes de o microfone ser desligado.

Em uma publicação nas redes sociais, Gayer refutou essa declaração, ele escreveu: “Ou ela não lê os projetos que vota ou mente descaradamente. Esse aí é o projeto original no qual ela votou sim para a urgência. Impostos de até 4% para a Netflix e outras plataformas de streaming que seriam repassados diretamente para os usuários. Resumindo: Queria aprovar a toque de caixa mais impostos pro LULA GASTAR as custas do povo brasileiro e agora surtou pq eu divulgo os votos dos parlamentares que fazem isso.”.

Após a sessão, o pré-candidato à prefeitura de Goiânia teria ido até a deputada para, segundo ele, lhe dar um abraço enquanto gravava com o celular. Entretanto, a jornalista teria tentado impedir esse vídeo, tirando o celular da mão do colega, o que Gayer alegou ser uma agressão.

“A Silvye querendo me agredir aqui no plenário”, diz o deputado na gravação. “A mulher está surtada gente, não sabe defender o voto dela agora vem para a agressão, tentou pegar meu celular”, afirma. “Está surtada, votou a favor da urgência e está achando ruim”, completa ele no vídeo divulgado nas suas redes sociais com a legenda: “Completamente surtada deputada Silvye me agride no plenário após eu divulgar os deputados que votaram SIM na urgência do PL da Globo.”.

Posteriormente, Silvye afirmou em suas redes sociais que todo o seu partido (União Brasil) vota contra a aprovação do projeto e que, ao tentar retirar o celular da mão do parlamentar, ela estava defendendo o seu direito de imagem. “Peguei o celular dele mesmo, ele não tem o direito de fazer isso (gravar sem autorização), além de pegar um telefone para mentir com ele mentiu.”, afirma ela em uma publicação em seu Instagram.

Compartilhar em:

Notícias em alta