Hoje é 18 de junho de 2024 05:41
Hoje é 18 de junho de 2024 05:41

PF deflagra operação para prender 208 pessoas envolvidas com 8 de janeiro

Mandados de prisão preventiva foram autorizados pelo STF contra pessoas foragidas ou que descumpriram medidas cautelares
Até as 10h desta quinta-feira, a PF informou que 45 investigados já haviam sido presos nos estados do Espírito Santo, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Paraná e no Distrito Federal // Foto: PF/Divulgação/Arquivo

A Polícia Federal deflagrou nesta quinta-feira (6/6) uma ampla operação para cumprir centenas de mandados de prisão relacionados aos atos golpistas ocorridos em 8 de janeiro de 2023. Naquele dia, as sedes dos Três Poderes em Brasília foram invadidas e depredadas por manifestantes insatisfeitos com o resultado das eleições presidenciais.

A ação faz parte da Operação Lesa Pátria, que desde o ano passado investiga os responsáveis pelos ataques. Esta é a 27ª fase da operação, com um total de 208 mandados de prisão preventiva emitidos contra residentes no Distrito Federal e 18 estados. Os alvos são pessoas foragidas ou que descumpriram medidas cautelares impostas pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Até as 10h desta quinta-feira, a PF informou que 45 investigados já haviam sido presos nos estados do Espírito Santo, São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais, Bahia, Paraná e no Distrito Federal.

“A Polícia Federal continua realizando diligências para localização e captura de outros 163 condenados ou investigados considerados foragidos”, declarou a instituição.

A corporação policial também destacou que “mais de duas centenas de réus deliberadamente descumpriram medidas cautelares judiciais ou fugiram para outros países, com o objetivo de se furtarem da aplicação da lei penal”.

Entre os alvos da operação estão indivíduos que violaram tornozeleiras eletrônicas e outros que fugiram para países como a Argentina.

Todos os mandados de prisão foram assinados pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF, que é o relator das investigações sobre os atos antidemocráticos.

Os alvos da operação desta quinta-feira respondem pelos crimes de abolição violenta do Estado Democrático de Direito, golpe de Estado, dano qualificado, associação criminosa, incitação ao crime, destruição e deterioração ou inutilização de bem especialmente protegido. (Com informações da Agência Brasil)

Compartilhar em:

Notícias em alta