Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:35
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:35

Polícia Civil indicia prefeito de Iporá e Ministério Público recomenda posse da vice

Naçoitan Leite, que retornou à carceragem do presídio de Iporá nesta manhã após internação no último sábado por mal-estar; Câmara deve empossar nova prefeita nos próximos dias
Imagens revelam que prefeito invadiu a casa da ex-mulher e levou os aparelhos de vigilância um dia após o crime // Foto: Instagram

A Polícia Civil de Goiás indiciou o prefeito de Iporá, Naçoitan Leite, pela tentativa de feminicídio e de homicídio após investigação do caso ocorrido no dia 18 de novembro, em que o parlamentar invadiu a casa da ex-mulher e disparou contra ela e seu atual namorado com armas de fogo com 15 disparos.

O delegado do caso, Ramom Queiroz, informou à imprensa nesta manhã que Naçoitan também responderá por porte ilegal arma de uso restrito e fraude processual em função do roubo dos aparelhos de vigilância da casa da vítima.

Ramom voltou a negar que a polícia tenha estabelecido diálogos com o político para negociar sua rendição e que a PC investigará se o empresário rural recebeu apoio durante os cinco dias em que esteve foragido.

O titular da Delegacia da Mulher de Iporá, Igo Dalmy, revelou à imprensa detalhes da perícia no imóvel onde ocorreu o ataque. “As provas de feminicídio e do homicídio tentado são explícitas. Nove tiros atravessaram a porta do quarto. Um deles atingiu a cama, outros no baú. Um dos pés da cama quebrou com um dos tiros”, relatou o delegado.

Preso desde do dia 23 de novembro, dia em que se entregou à Polícia Civil, Naçoitan Leite foi internado no sábado, dia 25, após um mal-estar. Ele recebeu alta hospitalar da unidade médica de Iporá, nesta manhã (28), e já está na carceragem administrada pela Diretoria-Geral de Administração Penitenciária (DGPA).

Posse da vice-prefeita

O presidente da Câmara Municipal de Iporá, vereador Adriano Sena Silva (MDB), recebeu nessa segunda-feira, dia 27, uma recomendação do Ministério Público do Estado de Goiás para dar posse imediata à vice-prefeita Maysa Peres Cunha Peixoto (PP) como prefeita de Iporá. O MP GO baseia a recomendação na impossibilidade do atual prefeito Naçoitan Leite em estar preso suspeito dos crimes de tentativa de homicídio e de feminicídio.

O documento, que é assinado pelo promotor de Justiça, Luís Gustavo Soares Alves, traz em um de seus trechos a justificativa de que a gestão municipal não pode ser feita “por uma pessoa privada de liberdade, dentro de uma unidade prisional, incluindo a celebração de convênios, acordos, contratos e outros ajustes do interesse do município”, diz trecho da recomendação.

Compartilhar em:

Notícias em alta