Hoje é 15 de abril de 2024 03:02
Hoje é 15 de abril de 2024 03:02

Polícia Civil prende torcedores organizados suspeitos de armar crimes contra rivais

Cinco integrantes de uma ala da Força Jovem Goiás chamada de ‘Quebra Caixote’ foram presas nesta manhã com armas e drogas
A foto dos presos foi divulgada pela Polícia Civil na expectativa de que eles possam ser denunciados por crimes já cometidos no passado // Foto: PC-GO

A Polícia Civil (PC) realizou, nesta segunda-feira (19), a execução de quatro mandados de prisão e quatro de busca e apreensão contra membros de uma associação criminosa ligada à Torcida Força Jovem Goiás. Segundo a PC, as investigações estão relacionadas a uma emboscada ocorrida em dezembro de 2023, em Goiânia.

O delegado encarregado do caso, Samuel Moura, relatou que a emboscada teve lugar em um bar no setor Leste Universitário. Na ocasião, os suspeitos identificaram a presença de três indivíduos apoiadores de uma equipe adversária. 

Em entrevista ao vivo a um telejornal nesta manhã, revelou detalhes da investigação e o que foi apreendido com os suspeitos. “Durante as investigações identificamos quatro indivíduos que se identificavam como integrantes de um grupo denominado de Quebra Caixote, que era ligado à Torcida Força Jovem Goiás”, contou o delegado.

As investigações são referentes a uma emboscada ocorrida no mês de dezembro de 2023 na capital goiana. Ao todo, 56 policiais civis compõem o efetivo utilizado. “Na abordagem a esses indivíduos foram apreendidas armas de fogo (9 milímetro) e simulacros de armas de fogo e armas de fogo, bem como drogas como cocaína. Constatamos também que eles organizavam festas para vender drogas e também estimulavam a briga com torcedores rivais, mesmo em dias em que não havia jogos.São pessoas que nem frequentavam os jogos. Eles devem responder por crimes como tráfico de drogas, associação crimonosa,lesão corporal, posse ilegal de armas”, acrescentou o delegado.

A Polícia Civil divulgou uma fotografia com os presos de acordo com os termos da Lei 13.869/2019, portaria n° 547/2021 – PC, e Despacho da Autoridade Policial responsável pelas investigações sob a justificativa de identificação de novas vítimas. Contudo, os nomes dos investigados não foram divulgados, o que impossibilitou à nossa reportagem ouvir suas defesas a respeito das acusações das quais respondem.

Compartilhar em:

Notícias em alta