Hoje é 29 de fevereiro de 2024 03:03
Hoje é 29 de fevereiro de 2024 03:03

Polícia cumpre mandados de prisão contra autores de roubo a fazenda

Seis mandados de busca e apreensão e três de prisão foram cumpridos nos municípios de Goiânia, Trindade e Goianira, contra envolvidos em um roubo ocorrido no dia 28 de outubro em Uruaçu
Assaltantes armados e encapuzados renderam o caseiro da propriedade rural e roubaram do local R$ 2 mil em espécie, uma motocicleta, uma motosserra e diversos itens eletrônicos // Foto: PCGO

Policiais da Delegacia Estadual de Repressão a Crimes Rurais (DERCR) realizaram operação nesta segunda-feira (15/1) para cumprir seis mandados de busca e apreensão e três de prisão nos municípios de Goiânia, Trindade e Goianira, contra envolvidos em um roubo a uma fazenda. O crime aconteceu no dia 28 de outubro, em Uruaçu, município da região Norte de Goiás.

Dos três alvos da operação, apenas um foi localizado e preso até a manhã desta segunda-feira. No dia do roubo à fazenda, indivíduos armados e encapuzados renderam o caseiro da propriedade rural e roubaram do local R$ 2 mil em espécie, uma motocicleta, uma motosserra e diversos itens eletrônicos. As investigações apontaram que os autores do crime haviam repassado o celular para um mulher moradora do Setor Jardim das Rosas, em Goiânia.

Em seguida, foi identificado o local em que a receptadora morava e durante abordagem foi localizado e apreendido com a mulher um telefone celular roubado na fazenda. A mulher presa em flagrante por receptação no dia cinco de dezembro.

O delegado Álvares Lins acredita que os assaltantes saíram da região metropolitana de Goiânia, possivelmente com acesso à informações privilegiadas repassadas por alguém de Uruaçu.

“Armados, o grupo dominou e amarrou o caseiro e efetuou o roubo”, explica o delegado.

Além do celular, segundo o delegado foram recuperados a motocicleta, um televisor e os demais objetos subtraídos durante o roubo. As investigações apontaram um dos suspeitos participando efetivamente do roubo e os outros teriam repassado informações para os executores.

Os investigados vão responder por roubo qualificado, cuja pena pode chegar até 15 anos de prisão.

Compartilhar em:

Notícias em alta