Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:38
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:38

Polícia descarta crime no caso de mulher que pulou de veículo de aplicativo

Mulher se assustou ao perceber que o rosto do motorista não era o mesmo que aparecia no aplicativo; na ocasião, rapaz enviou carta para passageira pedindo desculpas pelo ocorrido

A Polícia Civil disse que não achou indícios de crime no caso da passageira que pulou de um carro em movimento por achar que seria estuprada por um motorista de aplicativo, em Goiânia. Homem enviou uma carta com pedido de desculpas no dia seguinte para a vítima. 

O caso aconteceu na madrugada do dia 19 de dezembro. Na época, a passageira Walirrane Ramos disse que solicitou uma viagem para o Setor Morada do Sol, onde vive, mas disse que pulou do carro na região do Setor Vila Redenção.

Ela contou que, assim que entrou no carro, o motorista começou a fazer diversas perguntas, chegando a um ponto que começou a incomodá-la. Nessa hora, ela conferiu o rosto do motorista com o que aparecia no aplicativo e viu que eram bem diferentes. Após isso, ela disse que começou a ficar com medo e mandou mensagem para um amigo. (Clique aqui e relembre o caso)

“Eu estava mexendo no celular e ele começou a puxar assunto comigo. E eu não estava entendendo o que ele estava falando, por causa da altura do som. Quando eu vi que estava incomodando, eu olhei no aplicativo e vi que não era a mesma pessoa, que era bem mais novo do que na foto. Eu mandei mensagem para meu amigo, falando que estava com medo”, disse.

Walirrane procurou uma delegacia de polícia para registrar uma ocorrência sobre o assunto. No local, ela teve acesso a um boletim registrado pelo próprio motorista, na noite do ocorrido, onde ele relatou que a mulher pulou do carro em movimento e que não sabia se ela teve fraturas.

Ela também recebeu uma carta do homem com pedido de desculpas e alegando que “em nenhuma momento quis fazer maldade com você”.

O delegado Kleyton Manoel, que ficou responsável pela investigação, afirmou que o caso foi arquivado, pois “não houve nenhuma conduta criminosa do motorista”.

Em nota, a Uber disse que repudia qualquer tipo de comportamento abusivo contra mulheres e acredita na importância de combater e denunciar casos de assédio e violência, e falou que está à disposição das autoridades para colaborar com as investigações. A empresa disse ainda que a “segurança é uma prioridade para a Uber e inúmeras ferramentas atuam antes, durante e depois das viagens”. A empresa ainda informou que tem um sistema de verificação da identidade dos motoristas em tempo real.

Compartilhar em:

Notícias em alta