Hoje é 15 de abril de 2024 03:07
Hoje é 15 de abril de 2024 03:07

Polícia prende pastor suspeito de abusar sexualmente de fiéis 

Segundo as investigações, homem dizia incorporar anjos quando cometia os crimes; prisão aconteceu após ele se entregar à polícia
Pastor Vanderlei de Oliveira é acusado de abusar sexualmente de fiéis em Anápolis | Fotos: Redes sociais

A Polícia Civil prendeu o pastor Vanderlei de Oliveira, que estava sendo procurado suspeito de abusar sexualmente de fiéis. O caso aconteceu em Anápolis e a prisão foi realizada nesta sexta-feira (20/10).

De acordo com PC, o homem dizia que incorporava anjos para cometer os crimes. Até o momento, nove vítimas foram ouvidas, sendo que entre elas há homens e mulheres.

Além do pastor, a esposa dele, Maria Lurdes dos Santos Oliveira também está sendo procurada pela polícia, mas ainda não há informações se ela foi presa.

Até o fechamento desta matéria a defesa do pastor e da esposa dele não havia se pronunciado sobre o caso.

A delegada Isabella Joy, que investiga o caso, disse que a prisão do pastor aconteceu após ele se entregar à polícia.

Os abusos formam descobertos após a polícia receber denúncia de uma das vítimas no dia 2 de outubro deste ano.

Conforme as investigações, os crimes provavelmente acontecem há mais de uma década, já que uma das vítimas identificadas foi abusada em 2013.

Pastor buscava vítimas vulneráveis 

A polícia também informou que o pastor buscava vítimas que estivessem passando por algum problema emocional ou, até mesmo, uma enfermidade. 

Segundo a delegada, essas pessoas estariam mais vulneráveis e seriam mais fáceis de manipular, porque estavam desesperadas por ajuda.

A partir desse momento, o pastor começava uma campanha de oração para a vítima. Sendo assim, essa pessoa teria que participar de uma série de sessões de oração, onde se encontraria com o anjo, incorporado por Vanderlei na casa do pastor.

Durante esses encontros, o anjo dizia que poderia ajudar a pessoa a resolver seus problemas, desde que ela aceitasse cumprir as ordens dele. Era nesse momento que iniciavam-se os abusos.

A polícia também descobriu que Vanderlei filmava os abusos. O objetivo dele era usar as imagens para ameaçar as vítimas que se recusassem a continuar com as campanhas espirituais.

Além disso, as vítimas relataram à polícia que o pastor também mantinha um grupo de conversas no WhatsApp com fiéis. No grupo, estavam presentes vítimas, mas também outras pessoas, que ajudaram na investigação como testemunhas. 

No grupo, o pastor dizia que estava incorporado com o anjo e que a suposta entidade responderia dúvidas por lá. 

Segundo a polícia, Vanderlei deverá ser indiciado pelos crimes de violência sexual mediante fraude e estupro. Mas não se descarta o surgimento de outros crimes.

Esposa do pastor estava presente nos crimes 

A delegada também explicou que m Maria de Lurdes dos Santos Oliveira sabia que o marido praticava os abusos contra fiéis. Em depoimento, a maioria das vítimas relata que a esposa do pastor estava presente durante os crimes e ajudava o marido a praticá-los.

“Ela não praticava ativamente os atos, mas sempre estava lá presente quando eles aconteciam. Apoiava o marido, dizia para as vítimas cumprirem as ordens dele”, disse a delegada.

A mulher deverá ser indiciada por participação nos crimes de violência sexual mediante fraude e estupro.

Compartilhar em:

Notícias em alta