Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:39
Hoje é 21 de fevereiro de 2024 06:39

​Prefeito Vilmar Mariano desiste da reforma administrativa

Projeto que criaria duas novas secretarias e quase 300 cargos abriria espaço para acomodação e realocação de aliados do prefeito, mas encontrou resistência do presidente da Câmara e não andou
Prefeito chegou a enviar o projeto de lei complementar à Câmara Municipal, em julho de 2023, mas considera que o tema foi superado // Foto: Arquivo

O prefeito de Aparecida de Goiânia, Vilmar Mariano (MDB), desistiu de implantar a reforma administrativa que criaria duas novas secretarias e cerca de 300 cargos na prefeitura. A informação é do líder do prefeito na Câmara Municipal, vereador Isaac Martins (PRD).

O prefeito chegou a enviar à Câmara Municipal, no início de julho de 2023, um projeto de lei complementar alterando a estrutura da prefeitura, mas a proposta não andou, diante de sucessivas resistências por parte do presidente do Legislativo, André Fortaleza (MDB).

“O prefeito Vilmar já virou página acerca da reforma administrativa, é uma coisa que já não se debate mais, já foi superado esse tema”, afirma Martins.

À reportagem do NG, o vereador explica que o prefeito “tem tocado a gestão da forma que está”, “mesmo entendendo que, dentro daquela reforma, muitos pontos precisariam ser feitos para dar mais rapidez e transformar em benefícios à população”.

Vereador Isaac Martins, líder do prefeito na Câmara Municipal: “O prefeito Vilmar já virou página acerca da reforma administrativa

“Mas o presidente da Câmara não tem essa mesma visão. É um direito dele e o prefeito Vilmar tem respeitado a decisão do presidente da Casa, que tem a função de pautar os projetos de acordo com o Regimento da Câmara”, completa Isaac Martins.

Além de outras mudanças na estrutura administrativa, a proposta de reforma administrativa criava duas novas secretarias: de Mobilidade e Trânsito e de Licitação e Compras. A primeira pertence ao segundo escalão e, pelo projeto, seria alçada ao primeiro escalão. Já a pasta de Licitação e Compras seria criada a partir de desmembramento da Secretaria de Administração.

O texto foi enviado para apreciação dos vereadores durante o recesso parlamentar do meio do ano, junto com um pacote contendo outros 13 projetos de leis, a maioria já aprovada. A justificativa era aumentar a eficiência no atendimento das políticas públicas à população. A reforma também abriria espaço para acomodação e realocação de aliados do prefeito, visando fortalecer o projeto de reeleição.

Compartilhar em:

Notícias em alta