Hoje é 18 de junho de 2024 05:55
Hoje é 18 de junho de 2024 05:55

Prefeitura de Goiânia apresenta proposta aos trabalhadores da educação

Prefeito Rogério Cruz propôs 50% de reajuste no auxílio locomoção, envio da data-base apenas em dezembro e não pontuou um novo plano de carreira; movimento recusou
Greve dos trabalhadores da Educação completa 15 dias | Foto: Sintego

A Prefeitura de Goiânia apresentou, nesta segunda-feira (16/10), a primeira proposta aos trabalhadores administrativos da Educação, mas a categoria recusou. A greve da Educação acontece há duas semanas.

De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores da Educação em Goiás (Sintego), os grevistas vão voltar a se reunir nesta terça-feira (17/10) no Paço Municipal, para continuar a manifestação. 

“Nós vamos resistir e buscar avanços nas negociações e amanhã estaremos novamente, em Assembleia permanente no Paço Municipal”, destacou a presidente do Sintego, deputada estadual Bia de Lima. 

Na mesa de negociação, o prefeito de Goiânia Rogério Cruz apresentou 50% de reajuste no auxílio locomoção, envio da data-base apenas em dezembro e não pontuou um novo plano de carreira.

Os trabalhadores da Educação fazem questão da reformulação do plano de carreira. O Sintego ainda vai brigar também pelo pagamento da data-base imediata.

Essa foi a primeira proposta apresentada pelo Paço Municipal em duas semanas de greve. O movimento vai para o 15º dia com nova assembleia. 

“Mesmo com as inúmeras tentativas do Sintego junto ao Paço Municipal, em busca de uma proposta que contemple as pautas dos/as trabalhadores administrativos, o Paço Municipal apresentou uma proposta, que foi rejeitada pela categoria e a greve foi mantida”, reiterou o sindicato.

Compartilhar em:

Notícias em alta