Hoje é 29 de fevereiro de 2024 01:52
Hoje é 29 de fevereiro de 2024 01:52

Psicóloga de 32 anos morre após atropelamento na BR-153

Laura Alvarenga era colaboradora de empresa de formação de jovens aprendizes e no momento do acidente estava em moto por aplicativo
Polícia Rodoviária Federal investiga as causas do acidente e busca identificar motorista autor do atropelamento // Foto: Instagram

Uma fatalidade abalou a comunidade goiana na noite da última quarta-feira (6). A psicóloga Laura Costa de Alvarenga, de 32 anos, perdeu a vida após cair de uma moto por aplicativo e ser atropelada por um caminhão na BR-153, em Goiânia. O trágico incidente, registrado pela Polícia Rodoviária Federal (PRF), revela que o condutor do caminhão responsável pelo atropelamento fugiu do local sem prestar socorro.

Segundo Newton Moraes, inspetor da PRF, o acidente ocorreu quando o piloto da moto, um jovem de 24 anos, teve que realizar uma frenagem brusca devido a um veículo que parou abruptamente no meio da rodovia. O impacto da parada brusca resultou na queda do condutor e da passageira, Laura Alvarenga, na pista, momento em que um caminhão que trafegava pela rodovia atropelou e matou a psicóloga.

O motociclista não sofreu ferimentos. A PRF abriu investigação para apurar maiores detalhes sobre o caso e busca identificar e capturar o condutor do caminhão que fugiu do local do acidente.

Nas redes sociais, amigos da psicóloga expressaram profundo pesar pela perda e a empresa na qual trabalhava em um bairro ao lado da rodovia fez a seguinte homenagem. “Neste momento difícil, expressamos nossas sinceras condolências pela partida da nossa querida colaboradora Laura Costa de Alvarenga. Como família, oferecemos nosso apoio e solidariedade a toda sua família e amigos, para que Deus nos dê forças para superar essa tristeza. Que a lembrança de sua luz, alegria, responsabilidade e sorriso fácil continuem a ser uma fonte de inspiração para todos nós. Nossos sinceros sentimentos.”

À imprensa, a empresa responsável pelo motociclista cadastrado no aplicativo informou que não possui informações como nome do trabalhador e placa do veículo, impossibilitando a divulgação de um posicionamento oficial sobre o acidente até o momento.

Compartilhar em:

Notícias em alta