Hoje é 28 de novembro de 2023 17:45
Hoje é 28 de novembro de 2023 17:45

Resposta contundente de Caiado a extremistas favorece ambiente para Goiás no Governo federal

Sem hesitar, governador se posicionou de forma intransigente na defesa da democracia em claro gesto de apoio ao Governo federal no momento crítico e condenou aqueles que contestam o sistema eleitoral descontentes com o resultado das urnas

Mesmo opositores do governador Ronaldo Caiado (União Brasil) reconhecem que ele cresceu politicamente com a condução, em Goiás, do enfrentamento aos atos antidemocráticos de extremistas que depredaram as sedes dos Três Poderes, em Brasília, no domingo (8/1). O rápido e contundente repúdio do governador, ainda no domingo, aos atos de vandalismo, por meio de nota, foi seguido de ações que colocaram o mandatário goiano em um novo patamar no cenário político nacional.

Caiado condenou os atos que destruíram prédios e patrimônios públicos e colocou as forças de segurança pública de Goiás à disposição do Governo federal para ajudar a garantir a tranquilidade. Tomou medidas administrativas, com mobilização de efetivo, para resguardar a segurança dos goianos e auxiliar na identificação dos envolvidos nos atos em Brasília. Como se recupera de cirurgia, enviou como seu representante o vice-governador, Daniel Vilela, para a reunião com os chefes dos Três Poderes no dia seguinte ao ocorrido.

‘Tentativa da barbárie se sobrepor às instituições democráticas’

Ao se se manifestar, em nota por meio de suas redes sociais, ainda no domingo, Ronaldo Caiado classificou o episódio como “tentativa da barbárie se sobrepor às instituições democráticas” – algo absolutamente inadmissível, inaceitável e condenável sob todos os aspectos, nas palavras do governador.

Acertadamente, Caiado relacionou a agressão aos Poderes da República com a contestação do resultado das urnas, nas eleições de outubro, apontando o grave risco de submeter a democracia às investidas dos perdedores. E destacou que já venceu e perdeu eleições, mas, em nenhuma hipótese, aventou a possibilidade de questionar qualquer resultado.

Essa pronta e inequívoca resposta do governador goiano demarcou o campo em que ele quer praticar a política. Caiado pontuou que “não existe a mínima justificativa para os atos antidemocráticos”.

Como é notório e o próprio governador costuma externar, ele é opositor histórico do PT. Desde os anos 1980, jogavam em lados distintos, porém sempre no campo da democracia, respeitando as regras eleitorais.

Se petistas que comandam, agora, o Governo federal tinham restrições ao mandatário goiano, o posicionamento de Caiado nos acontecimentos de 8 de janeiro deixou claro que ele é intransigente defensor do estado democrático de direito, portanto um aliado na luta contra os radicais que contestam a jovem democracia brasileira.

Compartilhar em:

Notícias em alta