Hoje é 15 de abril de 2024 02:02
Hoje é 15 de abril de 2024 02:02

Robinho passa noite na cadeia e ficará em cela separada por 1 semana

Ex-jogador cumprirá pena por estupro na cadeia de Tremembé, conhecida como “penitenciária dos famosos”, por abrigar presos envolvidos em casos de grande comoção social
Ex-jogador de futebol Robson de Souza, Robinho: após o período de adaptação padrão deverá ficar numa cela comum // Fotos: Divulgação/Santos FC

O ex-jogador de futebol Robson de Souza, Robinho, passou a primeira noite na Penitenciária 2 Dr. José Augusto Salgado, localizada na cidade de Tremembé, interior paulista, em uma cela especial. Ele deverá permanecer em isolamento por cerca de uma semana, sujeito a observação constante.

Até mesmo seus períodos de banho de sol serão conduzidos de maneira separada dos demais detentos. Após esse período inicial, ele será transferido para uma cela comum.

A chegada de Robinho ao complexo penitenciário de Tremembé ocorreu por volta da 1h da manhã da última sexta-feira (21/3), para cumprir uma sentença de nove anos em regime fechado, decorrente de estupro coletivo na Itália. Sua prisão ocorreu no início da noite, em seu apartamento no bairro de Aparecida, na cidade de Santos, litoral paulista.

Após sua detenção, ele foi submetido a uma audiência de custódia e exames médicos no Instituto Médico Legal, antes de ser encaminhado à penitenciária. Conhecida como “penitenciária dos famosos”, a prisão de Tremembé abriga diversos indivíduos de destaque, como Alexandre Nardoni, Cristian Cravinhos, Gil Rugai e o ex-médico Roger Abdelmassih, entre outros.

A Penitenciária 2 de Tremembé é designada para presos envolvidos em casos de grande repercussão social e possui capacidade para mais de 390 detentos em regime semiaberto e fechado, com celas que podem acomodar até oito pessoas. Esta faz parte de um complexo penitenciário que inclui a prisão feminina, conhecida como P1 Santa Maria Eufrásia Pelletier, onde estão detidas figuras como Suzane Richtofen, Elize Matsunaga e Ana Carolina Jatobá.

A prisão de Robinho ocorreu aproximadamente 24 horas após o Superior Tribunal de Justiça (STJ) validar a sentença imposta a ele pela justiça italiana. Ele e outros cinco amigos foram acusados de participar de um estupro coletivo de uma mulher albanesa em uma boate na cidade de Milão, em 2013.

Ricardo Falco também foi condenado pela justiça italiana, enquanto os outros quatro acusados, embora denunciados pelo Ministério Público italiano, não foram julgados, pois deixaram o país europeu durante as investigações e não foram encontrados pelas autoridades judiciais.

O advogado de Robinho, José Eduardo Alckmin, afirmou que recorrerá da decisão monocrática do ministro Luiz Fux, do Supremo Tribunal Federal (STF), emitida no final da tarde anterior, que permitiu a prisão do ex-jogador. Ele busca que o pedido de habeas corpus seja julgado pelo plenário da suprema corte. (Com informações da Agência Brasil)

Compartilhar em:

Notícias em alta