Hoje é 18 de junho de 2024 05:55
Hoje é 18 de junho de 2024 05:55

Sessão da Câmara de Goiânia é encerrada devido a bate-boca entre vereadores

Anselmo Pereira, que presidia a sessão, e Paulo Magalhães se desentenderam porque Paulo queria ceder sua vez de fala na tribuna para a vereadora Gabriela Rodart, o que não foi permitido; ele ficou descontente e chamou Anselmo de “mandachuva”
Anselmo Pereira e Paulo Magalhães: discussão entre os dois parlamentares esquentou e não chegaram às vias de fato porque Anselmo foi contido // Foto: reprodução

Os vereadores Anselmo Pereira (MDB) e Paulo Magalhães (União Brasil) protagonizaram mais um momento de baixaria na Câmara Municipal de Goiânia, durante a sessão desta terça-feira (31/10). Bate-boca e até ameaças entre vereadores de Goiânia não chegam a ser novidade, principalmente na atual legislatura. Causa espécie, porém, o envolvimento de Anselmo Pereira, conhecido pelo perfil conciliador.

Paulo falava da tribuna, reclamava do tempo utilizado por outros vereadores e quis ceder a vez dele para a vereadora Gabriela Rodart (PTB) usar o microfone. Anselmo, que é primeiro-secretário da Mesa Diretora e presidia a sessão, não permitiu a cessão da vez, já que o regimento prevê somente aparte. O vereador insistiu que queria ceder sua vez para Rodart, mas Anselmo foi incisivo: “Então, desça para eu passar para os demais”. Paulo, então, rebateu: “O senhor, então, é o mandachuva?”

Anselmo disse que apenas seguia o Regimento da Casa: “O senhor jurou por isso. Obedeça.” Já fora da tribuna, longe do microfone, Paulo Magalhães continuou falando, alegando que o regimento não estava sendo seguido. O vereador foi pra frente da Mesa Diretora e continuou a discussão com Anselmo, impedindo a fala do vereador Dr. Gian (MDB).

Já irritado, Magalhães apontava o dedo para Anselmo Pereira, que pedia respeito aos demais parlamentares.

“Quer falar na frente de todo mundo, achando que os demais não têm o direito de falar.” Ele insistia para que Gian pudesse falar, mas Paulo continuava a gritar ao fundo.

Diante da confusão (disponível aqui em vídeo), Anselmo suspendeu a sessão. Longe dos microfones a briga continuou e Anselmo encerrou a sessão. Anselmo, que é o vereador mais antigo da Capital, com 10 mandatos seguidos, quis descer para confrontar Magalhães, mas foi contido. Antes do desligamento do microfone e encerramento da transmissão da sessão, ainda é possível ouvir Anselmo dizer: “Agora me peita, que eu quero te mostrar”.

Em nota, o vereador Paulo Magalhães comentou o ocorrido e admitiu que se excedeu:

“Hoje, após reiteradas cobranças pelo cumprimento do regimento interno da casa, manifestei minha insatisfação junto ao vereador que presidia a Sessão Plenária. Reconheço que me excedi, dentro do meu direito e respeitando todo o rito legislativo”, disse.

“O encerramento precoce da sessão plenária prejudica a população, pois impede a aprovação de matérias em plenário pelos vereadores. Não farei declarações pessoais contra ninguém, mas coloco não apenas a mim, mas também todo o meu mandato à disposição dos goianienses. Continuarei lutando por demandas e anseios para alcançar dias melhores para todos”, conclui a nota.

Compartilhar em:

Notícias em alta