Hoje é 23 de abril de 2024 02:04
Hoje é 23 de abril de 2024 02:04

Vanderlan decide até março candidatura a prefeito de Goiânia

Presidente do PSD em Goiás, senador deve apostar nas pesquisas qualitativas, para verificar a aceitação do seu nome pelo eleitorado da capital; na eleição de 2020, ele obteve expressivos 250.036 votos (47,4%) no segundo turno da disputa com Maguito Vilela
Senador Vanderlan Cardoso: “Se o eleitor goianiense quiser que a gente dispute novamente, nós já mostramos que temos coragem para disputar” // Foto: NG

Prestes a pedir licença do cargo por um período de quatro meses, o senador Vanderlan Cardoso (PSD) confirmou ao PORTAL NG, nesta segunda-feira (20/11), que avalia a possibilidade de disputar a prefeitura de Goiânia em 2024. Na eleição de 2020, ele foi derrotado por Maguito Vilela (MDB) no segundo turno, quando obteve expressivos 250.036 votos (47,4%) contra 277.497 (52,6%) do emedebista.

Sem pressa, o empresário, que já governou Senador Canedo por dois mandatos, entre 2005/2010, tomará a decisão somente em 2024.

“Até março do ano que vem a gente vai estar definido”, disse Vanderlan.

“Estamos fazendo essa avaliação”, acrescentou o político, pontuando, ainda, que será “uma decisão madura”.

Experiente, o senador sabe que a sucessão na Capital encontra-se totalmente aberta, isto é, certo mesmo é que o PT terá a deputada federal Adriana Accorsi como candidata. Portanto, muita articulação de bastidores ainda vai acontecer nos partidos de centro-direita, o que ajudará a clarear o cenário.

Mas, conforme apurou a reportagem do PORTAL NG, Vanderlan não ficará ao sabor das decisões dos concorrentes. Presidente do PSD em Goiás, ele deve apostar nas pesquisas qualitativas, para verificar a aceitação do seu nome pelo eleitorado da capital. Portanto, pretende se guiar de forma objetiva:

“Primeiro ponto: o eleitor goianiense vai querer que a gente dispute novamente esse cargo? Se o eleitor quiser, nós já mostramos que temos coragem para disputar”, argumenta.

Sobre a licença no Senado, o político explica que servirá para que ele possa dedicar-se ao partido e formação de chapas, bem como a assuntos particulares. Com a saída, Pedro Chaves, do MDB, assume a vaga. Atualmente, o suplente está na chefia de gabinete do vice-governador Daniel Vilela (MDB).

Compartilhar em:

Notícias em alta