Hoje é 21 de julho de 2024 16:44
Hoje é 21 de julho de 2024 16:44

Pré-candidata a prefeita de Divinópolis de Goiás é agredida por adversário político

Agressão teria sido motivada pela divulgação de uma denúncia de que o pai do prefeito tem veículos escolares prestando serviço para a prefeitura
Isteiner Abreu, pré-candidata a prefeita de Divinópolis de Goiás: ela registrou ocorrência policial contra Pedro Tolentino, pai do atual prefeito, Charley Tolentino, por agressão física e ameaça // Foto: arquivo pessoal

As eleições de outubro, quando a população irá às urnas votar para vereador e prefeito, já estão acirrando os ânimos entre candidatos, principalmente em cidades do interior de Goiás, onde, muitas vezes, a vitória depende de poucos votos. Na cidade de Divinópolis de Goiás, a pré-candidata a prefeita Isteiner Abreu, do partido Progressistas, foi agredida fisicamente e ameaçada, nesta sexta-feira (21/6), por Pedro Tolentino, pai do atual prefeito, Charley Tolentino (PL), que apoia o candidato Nito do União (União Brasil).

Isteiner Abreu disputará a prefeitura pela segunda vez. Na eleição passada, ela ficou em segundo lugar, após uma disputa apertadíssima com o atual prefeito.

A agressão ocorreu quando a pré-candidata, que trabalha como assistente social do município, saía do local de trabalho, por volta de meio-dia de sexta-feira. Ela deixava o Centro de Referência de Assistência Social (Cras), na companhia de três colegas de trabalhos, quando percebeu a presença de Pedro Tolentino, na frente da casa dele; como ficou com medo, já que Pedro a estava encarando, ela voltou para dentro do Cras para pegar a chave de seu veículo e, ao sair, quando se tentou abrir a porta do carro, foi atacada por Pedro, com tapas no rosto e nos braços

“Além das agressões, Pedro estava bem agressivo e gritava dizendo, você vai me pagar, e provar se eu tenho carros alugados para a prefeitura”, conta a pré-candidata, destacando que a todo tempo Pedro pegava na cintura, insinuando que estava portando arma de fogo ou outro objeto.

Além de bater, Pedro quebrou o óculos da vítima.

Isteiner foi socorrida pelas colegas de trabalho e um rapaz que passava de motocicleta, que desceu da moto e segurou Pedro pra que ele parasse com a agressão. Além disso, a esposa de Pedro, Maria Aparecida, chegou e ajudou a segurar Pedro, agarrando-o pela cintura. Logo em seguida, um irmão de Isteiner, Junior, chegou no local.

Ainda segundo a pré-candidata, no momento em que era agredida, uma viatura da PM passava no local, mas o policial estava sozinho e nada pôde fazer para conter Pedro, mesmo com a presença do militar, continuou agressivo.

Em seu depoimento na Polícia Civil, a pré-candidata informou que no dia anterior à agressão a mãe do prefeito foi ao seu local de trabalho e a agrediu verbalmente, além de fazer provocações em relação a política.

Agressão ocorreu após denúncia de contrato irregular na prefeitura

Momento da agressão: pai e mãe do atual prefeito durante agressão à pré-candidata a prefeita

Segundo Isteiner, a agressão foi motivada pela divulgação de uma denúncia de que o pai do prefeito tem dois veículos escolares prestando serviço pra prefeitura.

“Com essa informação circulando, eles começaram a intimidar e coagir nossos aliados políticos, dentre eles o atual vereador Vando de Didi, que no decorrer dessa semana teve sua propriedade invadida pelo prefeito e funcionários municipais, que ameaçaram sua família”, afirma Isteiner Abreu.

Tudo teria começado, de acordo com a pré-candidata, depois que o prefeito atacou sua filha nas redes sociais, chamando-a de funcionária fantasma, e publicou em rede social o contracheque da sua filha. Após isso, a filha de Isteiner revidou e enviou um vídeo no grupo da cidade dizendo que o pai do prefeito mantém veículos à disposição do município de Divinópolis. A pré-candidata disse à polícia que acredita que Pedro a agrediu para se vingar dos comentários feitos por sua filha.

Isteiner Abreu registrou ocorrência na Polícia Civil, passou por exame de corpo de delito, que confirmou a agressão física, de natureza leve.

A reportagem não conseguiu contato com Pedro Tolentino, para ele dar sua versão.

Nota de repúdio do partido Progressistas

“O Partido Progressistas em Goiás repudia a agressão sofrida pela pré-candidata à Prefeitura de Divinópolis, Isteiner Abreu.

Isteiner foi vítima de uma lamentável e inaceitável agressão corporal, por parte do pai do atual prefeito do município.

Esse ato de violência não é apenas um ataque à pré-candidata do Progressistas, mas uma afronta aos princípios democráticos e à convivência pacífica que o partido defende. A integridade física e moral de qualquer pessoa deve ser respeitada, independentemente de suas posições políticas e/ou partidárias.

O Partido Progressistas lamenta profundamente o ocorrido e se solidariza com Isteiner Abreu. A legenda reafirma o compromisso e o apoio à pré-candidata no sentido de fazer com que a justiça seja feita. O Partido Progressistas não compactua com violência e intolerância e não permitirá que ambas prevaleçam. A sigla se coloca à disposição das autoridades competentes na punição dos responsáveis, conforme a lei.

É imperativo que atos como esse sejam firmemente repudiados e que medidas concretas sejam tomadas para assegurar a segurança e o respeito mútuo entre todos os cidadãos.”

Progressistas Goiás

Compartilhar em:

Notícias em alta